Sem suplementação orçamentária, deputados podem rebelar-se com redução de verba

BOCAÕ

Cauteloso com as contas, apesar de registrar aumento na arrecadação nesses seis primeiros meses do ano, o governo do Estado mantém a luz amarela ligada e a necessidade da redução dos gastos. Aliada a crise econômica, inevitavelmente, com o cinto apertado, um dos atingidos será o Legislativo baiano, que não deverá contar com suplementação orçamentária este ano. A situação pode agravar o desgaste da relação entre governo e parlamentares.

Uma rebelião pode ser instalada na Casa de Leis, já que sem aporte adicional e com um orçamento comprometido, a verba de gabinete de R$ 92 mil, por exemplo, voltaria ao valor original antes do reajuste de 18%, aprovado em março deste ano.

Ao Bocão News, o parlamentar Robinho (PP) avisou que os deputados podem se rebelar, caso a verba de gabinete seja reduzida. “O jeito é travar a pauta de votação até que liberem”, disse. O pepista ainda conta que a suplementação chegou a ser ponto de acordo na votação do projeto que vai utilizar parcelas de depósitos judiciais e extrajudiciais para pagamentos de precatórios e de requisições judiciais de pequeno valor e para capitalização do Funprev. “Isso foi acordado. Parte desse valor viria para a suplementação da Assembleia e agora não vem mais?”, questiona o parlamentar.

O presidente da Casa, Marcelo Nilo (PDT) está refazendo as contas e avaliando a necessidade da suplementação, mas minimizou a cobrança ao governador Rui Costa (PT). O presidente já havia informado que suspenderia o reajuste, caso a suplementação fosse vetada.

O chefe do Executivo baiano já negou o reforço orçamentário no mês de abril. “Ainda estou vendo se vai precisar ou não, mas não posso nesse momento de crise econômica ficar criando problemas ao governador. Vamos sentar com calma e pode ter certeza que não vou colaborar no sentido de pressionar o governo”, disse o presidente em conversa com o Bocão News, na tarde desta quinta-feira (6).

Nilo ainda assegurou que não pretende suspender o reajuste da verba de gabinete, que gerará uma despesa anual de R$ 11 milhões aos cofres públicos. “Não quero suspender nada que está programado, nem quero botar o governador em dificuldades”, alega.

Nos últimos cinco meses, desde que passou a vigorar o reajuste, o benefício já custou ao orçamento da Casa R$ 4,4 milhões, faltando ainda mais de R$ 3,5 milhões para o restante do ano. Nilo só não disse como vai conseguir equilibrar as contas. Desde o início do reajuste, a Casa conseguiu destinar o pagamento aos parlamentares com o cancelamento das bolsas de estudo, a pedido do Ministério Público no ano passado, o que economizou R$ 6 milhões. O presidente ainda informou que só seguraria o orçamento, com as novas despesas, até o fim deste mês.

O líder do governo na Alba, Zé Neto (PT), também reforçou a falta de suplementação. “Acho difícil ocorrer pela situação que estamos. Estados vizinhos estão atrasando salários e até dividindo-os.  Não quero antecipar uma posição do governador, mas digo que as dificuldades não são poucas e Marcelo tem sido um parceiro e vai entender”. Sobre a possível pressão dos deputados em travar as pautas do governo, o líder disse que ainda não sentiu a movimentação. “Não senti nada ainda, mas vamos aguardar”, reafirma.

Contudo, o presidente da Alba terá que administrar os anseios dos parlamentares, já que nos últimos anos, o ex-governador Jaques Wagner concedia o reforço orçamentário, mesmo quando o valor era inferior ao solicitado. No primeiro ano de gestão do sucessor de Wagner, o desgaste é quase certo.


Pesquisa aponta que aprovação da prefeitura de Irecê é de 84% e que Sobral se reelegeria

Sexta 07 de Agosto de 2015 – 11:52   por Csenna    Foto Reprodução irece sobral

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Bahia Pesquisa Estatística (Babesp) mostrou que o prefeito de Irecê, Luizinho Sobral (PTN), tem uma aprovação de 84% entre a população, além de indicar que ele venceria em todos os cenários se eleições fossem hoje. A avaliação do governo municipal é boa para 34% dos entrevistados, ótima para 5% e regular para outros 45%. Os que avaliam a gestão como ruim somam 11% e  péssima 4%, não souberam responder totalizam 1%. O atual prefeito de Irecê é o que virtual candidato para as eleições de 2016 que é mais indicado na pesquisa espontânea feita pela Babesp, com 15,8%, seguido de Zé das Virgens com 1,4%, Joacy Dourado 1%, Beto Lelis 1%, Paulo Freire 0,4%, Jacó 0,2%, Zé Duarte 0,2%, Pascoal Martins 0,2%, Tertinho 0,2% e os que votariam em candidatura do PT somaram 0,2%. Votariam nulo 4,2% e não souberam responder somam 75,2%. Na simulação estimulada, quando são apresentados os nomes do candidatos, Luizinho Sobral aparece na liderança com 54,4%, seguido por Joacy Dourado com 10,8%, Zé das Virgens com 7,2%,  Dorinha Lelis com 6%, Paulo Freire 3%, Zé Duarte 3%, Jacó 1,2% e Elmo Vaz 0,8. Não souberam 7,2% e votariam nulo 6,4%. A Babesp ouviu 500 pessoas entre os dias 03 e 05 de agosto de 2015.


Advogado de Dirceu afirma que ex-ministro não fará delação premiada

Atualizado em 06/08/2015 09:54 por Csenna 

dirceu                                                                            Foto Reprodução

O advogado Roberto Podval, que representa o ex-ministro José Dirceu, disse aos jornalistas nesta quinta-feira (6), que o cliente pode até morrer preso, mas não fará acordo de delação premiada. Podval conversou com os jornalistas na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Dirceu está detido.

“O Zé morre na cadeia, mas não faz uma delação. É só conhecer o Zé Dirceu para entender que ele não quer enriquecer. Esse não era o objetivo da vida dele. Ele não é um homem que admite, pela própria estrutura e história, fazer uma delação. O Zé, talvez, seja um dos dois ou três que morrerão aqui sem fazer delação”, afirmou Podval. Dirceu foi detido na segunda-feira (3), quando a Polícia Federal deflagrou a 17ª fase da Operação Lava Jato.Fonte G1


Nilo diz que registro do PL será resolvido na próxima segunda-feira

O principal articulador para a recriação do Partido Liberal na Bahia, o deputado estadual Marcelo Nilo (PDT), minimizou o arquivamento do pedido de registro da legenda pelo Tribunal Superior Eleitoral, nesta quinta-feira (6). A sigla necessitava de 480 mil assinaturas em todo o país, mas só conseguiu 67.924 assinaturas consolidadas e 99.703 certificadas, totalizando 167.924 assinaturas.

“O Tribunal indeferiu até levarmos todas as assinaturas necessárias, mas na segunda-feira já resolvemos isso”, limitou-se o pedetista. Na Bahia, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia conseguiu angariar 67 mil assinaturas, mas apenas 11 mil foram validadas devido à greve do Judiciário. O responsáveis pela recriação ainda argumentaram que a Justiça Eleitoral tem permitido que as assinaturas sejam apresentadas concomitantemente à tramitação do pedido, o que foi negado.

No entanto, Nilo já tinha apontado um limite para a recriação da legenda: 20 de agosto. E agora vai se esforçar mais ainda para conseguir o pleito. Isso porque o pedetista visa a presidência do partido no estado e sua candidatura ao Senado em 2018.

Na Bahia, o deputado acredita que 50 prefeitos e nove deputados estaduais vão ingressar na sigla, que deve reforçar a base governista de Rui Costa.


“Minha pauta é municipal”, diz ACM Neto sobre renúncia de Dilma

Foto Reprodução , Quinta, 06 de Agosto de 2015 – 09:28

ACM NETO

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), demonstrou cautela ao comentar a campanha lançada por senadores democratas, como o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado, e deputados federais, como presidente do DEM na Bahia, José Carlos Aleluia, apesar de os principais caciques do partido defenderem a renúncia da presidente Dilma Rousseff (PT), que amarga uma rejeição de 71% perante à nação, conforme apontou o Datafolha nesta terça-feira (6).

“A atual situação é de muita preocupação. O país vive uma crise institucional e econômica sem precedentes. Ontem, o próprio vice-presidente da República, em rede nacional, afirmou isso. Mas, eu prefiro me reservar a não manifestar opinião sobre o que deve ou não fazer o governo federal. Esse é um debate de Brasília, um debate dos parlamentares da Câmara e do Senado; Como prefeito, devo ter todo o cuidado para permitir que esse debate seja feito lá e cuidar aqui do que me cabe”, esquivou-se, em entrevista ao Bocão News, após o lançamento do programa educacional.

Para o prefeito, que diz preferir “concentrar toda a minha atenção na pauta municipal”, a atual crise dificulta não só a vida dos brasileiros, mas também dos governantes. “Estamos sentido na pele, com queda na arrecadação, com certa depressão da economia em geral e isso exige ainda mais esforço na nossa parte para garantir que as coisas continuem andando bem. A crise é seria, preocupa muito, traz consequências gravíssimas para o Brasil, mas prefiro não opinar sobre as declarações [da necessidade de renúncia da presidente]”, disse.

Antes, durante seu discurso em um dos auditórios do Hotel Sheraton, no Campo Grande, o gestor soteropolitano citou o Petrolão – escândalo de corrupção na Petrobras -, ao negar que teria negociado “às escondidas” com os donos de shoppings centers de Salvador, que passaram a cobrar estacionamento no mês passado, o aporte de cerca de R$ 108 milhões aos cofres municipais.

“A gente liga a televisão e vê o maior escândalo de corrupção da história do Brasil, que é a operação Lava Jato. Imaginei que o mensalão seria insuperável. E não sou eu que estou dizendo, mas o ministro do STF, Gilmar Mendes, que Pedro Barusco, um gerente da Petrobras, equivalia a um mensalão todo. Daí da para ter ideia da dimensão da roubalheira que se instalou na Petrobras. E porque digo isso? Ninguém admitiu fazer nenhum tipo de entendimento às escondidas com os shoppings centers. E aqui em Salvador, quando se tem que exigir alguma coisa de empresário não é propina, mas creche e escola para as crianças”, disse o prefeito, ao informar que os centros de compras da capital baiana bancarão parte das 40 novas creches previstas para serem construídas.

Parlamentares democratas passaram a defender a renúnica de Dilma em discursos no Congresso e nas redes sociais.


Dólar turismo chega a R$ 3,97 em casas de câmbio após sexto avanço seguido

Quinta, 06 de Agosto de 2015 – 09:17 Por CsennaDólar turismo chega a R$ 3,97 em casas de câmbio após sexto avanço seguido

Foto: Reprodução/ Veja
O dólar turismo chegou a R$ 3,97 nesta quinta-feira (6), após seis avanços seguidos da moeda nesta semana, segundo levantamento do G1. A moeda norte-americana subiu 1,39% nesta sessão, cotada a R$ 3,5374, maior patamar desde 2003. A alta reflete no dólar turismo, utilizado para consumidores comprarem algo no exterior ou importarem de outros países. Isso é motivado pelos custos administrativos e financeiros da moeda, condicionados ao volume de compras – quanto menor, maior o custo

Programa do PT na TV é alvo de ‘panelaços’, mais uma vez

Quinta, 06 de Agosto de 2015 – 20:41 por CsennaPrograma do PT na TV é alvo de ‘panelaços’, mais uma vez

Foto: Reprodução
O programa partidário do PT, exibido na noite desta quinta-feira (6), foi alvo de “panelaços”, mais uma vez. Em Salvador, enviaram vídeos leitores do Bahia Notícias dos bairro da Boca do Rio, Horto Florestal, Itaigara, Barra e Graça. No Twitter, internautas também mostraram manifestações ao redor de país.

ANTES DE LULA, LAVA JATO DEVE MIRAR PALOCCI

Foto Reprodução Foto Reprodução Quinta, 06 de Agosto de 2015 as 06:25 por Csenna

PALOCCI

“À crescente certeza de que a Operação Lava Jato pretende chegar ao ex-presidente Lula, fontes do Ministério Público adicionaram uma informação não menos grave: antes de se chegar a Lula ainda haveria ‘um degrau’ a ser vencido, com a prisão do ex-ministro Antônio Palocci. Na lista do comando da Lava Jato, o nome dele apareceria depois do de José Dirceu, preso na segunda-feira”, afirma Tereza Cruvinel, colunista do 247; ela destaca que se existe o objetivo de prender Palocci, será a partir da investigação que apura a informação do delator Paulo Roberto Costa de que teria sido procurado pelo doleiro Alberto Youssef para ajudar com R$ 2 milhões na campanha da presidente Dilma em 2010, a pedido direto de Palocci, então tesoureiro da campanha; informação é negada com veemência por Youssef


TRE-BA determina data de novas eleições no município de Macarani

Foto Reprodução Quinta, 06 de Agosto de 2015 – 06:10 por CSenna

tre ba
A Corte do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia determinou, em Sessão de Julgamento realizada na tarde de ontem (5/8), novas eleições para os cargos de Prefeito e Vice-Prefeito do município de Macarani, no Centro-Sul Baiano. O pleito será realizado no dia 4 de outubro, porém, só poderá votar o eleitor que estiver apto com a Justiça Eleitoral até o dia 6 de agosto, data de publicação da Resolução que aprova as eleições.
Após terem os diplomas cassados no mês de junho de 2013 pelo Regional baiano, o então Prefeito de Macarani, Antônio Carlos Macedo Araújo e sua Vice, Elza Soares de Souza, ambos da coligação “O Trabalho Não Pode Parar”, recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que, no mês de maio, manteve a decisão do TRE-BA pela cassação dos dois representantes públicos por captação ilícita de sufrágio e abuso de poder econômico referente às eleições municipais de 2012.
Registro de Candidaturas
Os partidos ou coligações interessados em concorrer ao pleito deverão solicitar à Justiça Eleitoral o registro de seus candidatos até o dia 15 de agosto, no Cartório da 91ª Zona Eleitoral. Contudo, só poderão participar da eleição os partidos que registraram seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral até 4 de outubro de 2014.
Leia Mais:  Plenário do TSE mantém cassação do prefeito de Macarani (BA)

Moro cita conversas de Argolo com Youssef em condenação de executivos da OAS

LA YOOUSEF

Na decisão em que condenou o presidente e outros executivos da OAS, o juiz federal Sergio Fernando Moro embasou o julgamento do mérito do processo da Operação Lava Jato utilizando conversas entre o ex-deputado federal baiano, Luiz Argolo, o doleiro Alberto Youssef e os diretores investigados da empreiteira.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), participaram de um esquema que funcionava da seguinte forma: empreiteiras formaram um cartel que, ao menos, desde 2004, combinava vencedores de licitações e apontava a escolhida a diretores da petrolífera.

Para Moro, as irregularidades são “evidentes em vista dos crimes conexos de pagamento de vantagem indevida de esquema criminoso a ex-parlamentares federais como os ex-deputados federais Pedro da Silva Correa de Oliveira Andrade Neto e João Luiz Correia Argolo dos Santos (Luiz Argolo)”.

O juiz federal também expôs provas de que operação de lavagem de dinheiro consumada em Londrina teve como origem recursos desviados de contratos da Petrobras e citou trocas de mensagens entre  Alberto Youssef, com o codinome “Primo”, e o ex-­deputado federal Luiz Argolo, com o codinome “LA”, nas quais Alberto Youssef estaria solicitando dinheiro da OAS para o ex­-deputado, diretamente com o diretor Financeiro da empreiteira, Mateus Coutinho, “inclusive com alusão a encontros pessoais com esse propósito”, diz Moro, na decisão.

Moro ainda lembra que o ex­-deputado Federal Luiz Argolo responde atualmente à ação penal 5023162­14.2015.404.7000, por ter supostamente recebido valores decorrentes do esquema criminoso da Petrobrás, tendo decretada a prisão preventiva dele.

No trecho a seguir, Alberto Youssef informa que Mateus Coutinho teria concordado em liberar o dinheiro “semana que vem” e que “ele não chamou o Ricardo”, em referência a José Ricardo Brechirolli, o que revela que ambos, José Ricardo e Matheus Coutinho, trabalhavam juntos:

Moro argumenta que, embora Alberto Youssef afirme que o dinheiro para João Luiz Correia Argolo dos Santos não foi liberado, é certo que nas mensagens afirmou, em 12/03/2014, a Luiz Argolo que “Matheus vai liberar semana que vem”.

“A efetiva entrega deve ter sido prejudicada pela superveniente prisão cautelar de Alberto Youssef em 17/03/2014. Youssef afirmou que desconhecia, especificamente, a origem dos valores relacionados a essas entregas, bem como a sua causa. Não obstante, seguem elas o mesmo modus operandi verificado no esquema criminoso da Petrobrás, com a realização de operações financeiras subreptícias do escritório de lavagem de dinheiro de Alberto Youssef para OAS, com a entrega de valores vultosos de dinheiro em espécie a terceiros, alguns com ligações a agentes políticos e campanhas eleitorais, como Marice Correa Lima, relacionada a João Vaccari Neto, este denunciado diretamente, como intermediário de valores de origem no esquema criminoso para os cofres do Partido dos Trabalhadores, e outros agente políticos, como o ex­-deputado federal Luiz Argolo”, concluiu o juiz Sérgio Moro. O advogado de defesa do ex-deputado Luiz Argolo, que afirmou que irá se pronunciar nesta quinta-feira (6), em relação à decisão do juiz federal Sérgio Moro.Fonte MPF