Cúpula do PMDB baiano comemora saída de Temer da articulação política de Dilma

Terça, 25 de Agosto de 2015 – 7:40  por Csenna

gedel e temer                                                                          Foto: Reprodução/ Veja

Os irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima, caciques do PMDB na Bahia, receberam com “muita alegria” e “de forma positiva” a saída do vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, da articulação política da presidente Dilma Rousseff (PT). “Vem ao encontro do que eu tenho cobrado, do que eu tenho conversado com ele. Me manifestei diversas vezes publicamente de que esse papel apequenava a figura do vice-presidente”, avalia Geddel, presidente do PMDB na Bahia. A saída, anunciada na manhã de segunda-feira (24), é considerada pelo deputado federal Lúcio Vieira Lima uma “primeira vitória” no objetivo de romper a aliança com o governo federal. “O PMDB saiu da articulação politica. É sinalização de que a coisa continua muito ruim e piorando dentro do governo. E essa sinalização fortalece os movimentos da rua, que começam a enxergar a possibilidade de consequências no Congresso: o afastamento da presidente. Como vai se dar isso, não se sabe”, especula. A expectativa dos peemedebistas é que a decisão dos correligionários seja tomada durante o congresso do partido, marcado para o dia 15 de novembro.  “Nosso compromisso é votar agenda clara de combate à crise que sinalize melhores momentos no futuro. Não pode dar respaldo ao governo sem rumo que está infelicitando o país, jogando na lata do lixo série de conquistas que toda uma geração litou pra viabilizar”, explica Geddel. Daqui até novembro, o deputado federal acredita que o ambiente vai voltar a ficar ruim para o governo. “Depois da saída de Michel Temer, o caldo vai engrossar até voltar ao patamar antes daquela história de Agenda Brasil”, concluiu.


Prefeito de Ubaíra diz que se o estado não resolver o problema da segurança no município vai deixar o PT

Segunda, 24 de Agosto de 2015 – 22:12 , atualizado Por Csenna

De acordo com informações passadas pelo programa jornalístico da emissora de rádio de Mutuípe o Prefeito Fábio Cristiano “Fabinho” (PT),  nesta segunda feira (24), reuniu-se com representantes do governo do estado e secretário Mauricio Barbosa para tentar resolver os problemas relacionados a segurança em em Ubaíra. Segundo as informações, o prefeito foi taxativo com o governador; ou o estado resolve ou ele deixa o Partido dos Trabalhadores.

O deputado Rosemberg Pinto (PT) participou por telefone do programa e disse que não acredita que o prefeito deixe a agremiação política visto que é um momento de emoção diante das últimas ocorrências no município, Pinto fez questão de salientar a razão do gestor que pressionado pela população tentar resolver o impasse, mas que o dever da segurança pública é de responsabilidade do estado, ele ainda salientou que Fabinho é um dos melhores quadros do partido e que o encontro deverá dá uma resposta a população ubairense nos próximos dias.Fonte Mida Bahia


Projeto da reforma política pode chegar ao plenário do Senado esta semana

Segunda, 24 de Agosto de 2015 – 21:50 Por Csenna

REFORMA POLITICA                                                             Foto: Waldemir Barretor/ Agência Senado

O projeto de lei da Câmara dos Deputados que trata do financiamento e custo de campanha eleitoral, organização e coligações partidárias, e calendário eleitoral (PLC 75/2015) pode chegar ao plenário do Senado Federal ainda esta semana. A Comissão Temporária da Reforma Política aprovou o texto da matéria na última quarta-feira (19) e precisa ainda votar os destaques apresentados à proposta. A demora, de acordo com o relator, senador Romero Jucá (PMDB-PR), a intenção é “ter o melhor texto possível, tanto da reforma política como da reforma eleitoral”. Segundo informações da Agência Senado, o projeto reduz os custos de campanha, amplia os mecanismos de controle dos gastos nas eleições e ainda prevê o fim das coligações proporcionais.


TSE volta a julgar amanhã ação que pede impugnação de mandato de Dilma

Segunda, 24 de Agosto de 2015 – 21:39 Atualizado  Por Csenna

DILMA-PREOCUPADA                                                                      Foto Arquivo  Beatriz Bulla

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) volta a julgar nesta terça-feira (25) uma das quatro ações na Corte que pedem a cassação do mandato da presidente Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer. Protocolada em janeiro pela Coligação Muda Brasil, cujo candidato era o senador Aécio Neves (PSDB-MG), a ação foi retomada há cerca de dez dias e suspensa na sequência após um pedido de vista do ministro Luiz Fux. Nesta terça-feira, os ministros voltam a discutir se um dos processos de investigação da campanha eleitoral da petista deve prosseguir na Corte. Inicialmente, o caso foi arquivado pela ministra Maria Thereza de Assis Moura. Para ela, a ação de impugnação de mandato proposta pelos tucanos se baseava em “ilações” e acusações “genéricas”. No último dia 13, contudo, os ministros Gilmar Mendes e João Otávio de Noronha votaram a favor da continuidade do processo. O PSDB acusa a chapa Dilma-Temer de usar estruturas públicas para promover a campanha, aponta abuso de poder econômico ao listar gastos acima do limite previsto e afirma que propinas oriundas do esquema de corrupção na Petrobras podem ter sido misturadas às doações oficiais. No voto pela abertura da investigação, o ministro Gilmar Mendes afirmou que é preciso esclarecer se houve lavagem de dinheiro de propina no esquema da Petrobras por meio de doação eleitoral. Amanhã, os ministros podem discutir a possibilidade de reunir as quatro ações que, no limite, podem gerar a cassação de mandato da presidente em uma só. A hipótese já foi inicialmente debatida pelo plenário do TSE antes do pedido de vista do ministro Luiz Fux. Além das quatro ações, a Corte Eleitoral analisa ainda a prestação de contas de campanha da presidente Dilma. Na última sexta (21) o ministro Gilmar Mendes, relator da prestação de contas da petista, pediu a abertura de investigação de suposta prática de atos ilícitos. Em despacho encaminhado à Procuradoria-Geral da República e à Polícia Federal, Mendes indica “potencial relevância criminal” na campanha petista.Fonte  Estadão Conteúdo


Governo anuncia que não dividirá a 1ª parcela do 13º salário de aposentados

Segunda, 24 de Agosto de 2015 – 21:25 Atualizado  Por Csenna    Foto Arquivo

Do G1, em Brasília

Primeira parcela do 13º será paga em setembro, e a segunda, em novembro.

INSS

O Palácio do Planalto anunciou na noite desta segunda-feira (24) o adiantamento integral em setembro de 50% do 13º salário dos aposentados e pensionistas que recebem do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os outros 50% serão pagos em novembro, como acontece normalmente.

O Ministério da Fazenda havia suspendido o adiantamento de 50% do benefício por falta de recursos em caixa. O objetivo era pagar somente em dezembro. Embora a antecipação do benefício não fosse obrigatória, ela ocorria há nove anos. A decisão de segurar o adiantamento causou polêmica e o Executivo precisou a rever sua posição.

PAGAMENTO                                                                                  Foto Reprodução
No sábado (22), o governo chegou a anunciar que os aposentados iriam receber 25% do adiantamento do 13º salário em setembro e os outros 25% em outubro, mas acabou recuando.
O Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical (Sindnapi) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para obrigar o governo federal a antecipar a primeira parcela do 13º salário.

Integra da nota do Palácio do Planalto:
Nota à Imprensa

A Presidenta Dilma Rousseff decidiu hoje que o adiantamento de 50% do 13º Salário dos Benefícios de Aposentados e Pensionistas da Previdência Social (gratificação natalina) será pago integralmente na Folha de Setembro (creditada a partir do dia 24/09). Os outros 50% da gratificação natalina serão pagos na Folha de Novembro, conforme a rotina tradicional.

Secretaria de Imprensa
Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República


TEMER: ERREI AO TER SIDO HONESTO DEMAIS

 Segunda, 24 de Agosto de 2015 – 13:29 – Atualizado por Csenna

TEMER O FIM

“Eu acho que o meu problema foi ter sido honesto demais. Ensaiei aquela fala, porque sabia da sua importância e não queria errar. Meu objetivo era fazer um chamamento pela unidade do país”, teria reconhecido o vice-presidente Michel Temer após dizer que o Brasil precisava de “alguém que tenha a capacidade de reunificar a todos”; declaração foi atacada por petistas como um sinal de conspiração contra Dilma Rousseff; presidentes de diretórios estaduais do PMDB preparam uma carta aberta a Temer pedindo que ele abandone imediatamente a articulação política do governo Dilma Rousseff; eles também querem deixar a base do governo, Fonte 247


Nelson Barbosa anuncia que governo estuda cortar dez dos 39 ministérios

 Segunda, 24 de Agosto de 2015 – 11:54 – Atualizado por Csenna / Foto Reprodução Gov

nelson barbosa

O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, anunciou nesta segunda-feira (24), em uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto, que o governo federal avalia fazer uma reforma administrativa que deverá cortar dez dos atuais 39 ministérios. Além do enxugamento das pastas, destacou Barbosa, o Executivo federal pretende fazer uma “racionalização da máquina pública”, com redução de secretarias e até integração de órgãos públicos.

A reforma administrativa, relatou o o ministro, está sendo coordenada pessoalmente pela presidente Dilma Rousseff. Segundo Barbosa, a proposta será “construída” com cada ministério até o final de setembro. O assunto foi debatido nesta segunda-feira na reunião de coordenação política do Palácio do Planalto, que contou com a presença de Dilma e de ministros do núcleo político do governo.

“Essa reforma administrativa, em linhas gerais, seguirá cinco diretrizes: a primeira é uma redução no número de ministérios. Uma redução de dez ministérios, como referência. Estamos trabalhando com a meta de reduzir o número de ministérios em dez”, informou Barbosa na entrevista coletiva concedida ao lado do ministro das Cidades, Gilberto Kassab.

Além da redução de ministérios e secretarias, disse Barbosa, o governo pretende enxugar o número de cargos comissionados no Executivo, que, atualmente, gira em torno de 22 mil pessoas.

O ministro ressaltou que, até o momento, não há uma meta definida de redução do número de cargos comissionados. Conforme ele, o tamanho do corte será decidido após um debate com cada um dos ministros.

Barbosa afirmou que, até o final de setembro, todos os ministérios terão de apresentar propostas de redução de órgãos internos e de cargos comissionados.Fonte G1.com


É bom que Rui Costa continue a imitar ACM Neto, ironiza Aleluia

O presidente do DEM na Bahia, o deputado federal José Carlos Aleluia, apontou as constantes aparições e ações do governador Rui Costa em Salvador como sendo uma imitação do prefeito ACM Neto (DEM) e indicou que o petista siga na prática. “É bom que o governador Rui Costa continue a imitar o prefeito ACM Neto, um exemplar gestor público, querido e respeitado pelo povo”, disse o deputado em entrevista à Rádio Cruzeiro na manhã desta segunda-feira (24).

ALELUIA

Para Aleluia, o governador Rui Costa herdou de seu padrinho Jaques Wagner um estado quebrado, em péssima situação financeira. “Ele tem mais é que se mirar em ACM Neto que encontrou uma cidade destroçada e desequilibrada financeiramente, mas, sem ajuda dos governos estadual e federal, arrumou a casa e hoje é o melhor prefeito do Brasil”, exemplificou.

O líder oposicionista observou que Rui Costa começou a gestão fazendo cortes nos gastos excessivos de Wagner, mas precisa aprofundar o contingenciamento das perdulárias despesas petistas. “Mesmo estando hoje numa situação bem mais confortável do que o governador, devido às medidas adotadas quando assumiu a prefeitura de Salvador, ACM Neto enfrenta a queda de receita, por causa da crise econômica, ajustando as despesas”, lembrou.

Carteira da OAB de José Dirceu pode ser cassada

Segunda, 24 de Agosto de 2015 – 08:40 por Csenna

dirceu oab                                                                                  Foto: Reprodução/ CGN

O registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do ex-ministro José Dirceu pode ser cassado nesta segunda-feira (24). O conselho seccional paulista da Ordem vai analisar o pedido apresentado por um advogado que questiona o motivo de Dirceu ainda estar inscrito no quadro da entidade após ser condenado por corrupção na Ação Penal 470, o mensalão. O autor alega que as condutas imputadas ao ex-ministro pelo Supremo Tribunal Federal (STF) são contrárias à idoneidade moral exigida para se exercer a advocacia. A carteira 90.792 só será cassada ou suspensa se houver voto favorável de ao menos dois terços dos 80 conselheiros titulares. Em 2010, um pedido parecido foi apresentado, com base na cassação do cargo de deputado federal por falta de decoro parlamentar, mas o Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-SP negou o pedido. Na época, o tribunal avaliou que somente pode ser considerado inidôneo quem tivesse processo disciplinar parlamentar ou ação penal sem possibilidade de recurso. No início deste mês de agosto, Dirceu voltou a ser preso em caráter preventivo, já cumprindo regime domiciliar em Brasília, por ter seu nome envolvido na Operação Lava Jato.


Otto já assinou carta que permite saída de Alan e Duda Sanches do PSD sem perda de mandato

Segunda, 24 de Agosto de 2015 – as 07:30 por Csenna

land e duda sanches

Foto: Divulgação / AL-BA

O deputado estadual Alan Sanches e seu filho, o vereador de Salvador Duda Sanches, estão em vias de formalizar suas saídas do PSD. Porém, eles não querem perder os mandatos por infidelidade partidária e procuraram o presidente do partido, o senador Otto Alencar, com uma alternativa: uma carta assinada que desse respaldo às suas saídas sem maiores complicações jurídicas. O próprio Otto confirmou o caso. “Alan ainda não chegou a formalizar sua saída. Disse que ele procurasse Ademir Ismerim para que ele não tivesse problemas na justiça e já assinei as cartas dele e de Duda”, disse o senador. Otto disse desconhecer se eles já teriam a proposta de ingressar em outro partido. Ismerim, que é advogado eleitoral, declarou que o argumento necessário na regência da carta é a divergência de posicionamento ideológico entre os Sanches – que querem deixar de apoiar Rui Costa (PT) no plano estadual e migrar para o governo de ACM Neto (DEM) em Salvador – e o PSD. “Não tem o risco de que eles percam o mandato, mas está provado que não havia condições para que eles continuassem no partido. Em tese, a lei agasalha esse tipo de saída”, declarou o advogado. Os Sanches não foram localizados para falar sobre o caso.