Ibope: Bolsonaro cresce, diminui rejeição, torna voto mais homogêneo e se fortalece para o 2º turno

Quarta feira, 12 de Setembro por Juliana Ribeiro

3 em cada 10 homens dizem que vão votar no candidato do PSL, que tem quase 4 em cada 10 dos votantes do Sul; metade dos seus eleitores afirma que não vão mudar o voto.

Jair Bolsonaro dá entrevista após ato de campanha na Ceasa, Zona Norte do Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/TV Globo

Jair Bolsonaro (PSL) tem razões para comemorar o último levantamento do Ibope, divulgado na terça-feira (11), a despeito de seus aliados questionarem as pesquisas de intenção de voto de grandes institutos.

Em diferentes recortes, o Ibope traz uma série de boas notícias para o candidato do PSL, que o consolidam na liderança e o fortalecem na disputa da vaga no segundo turno. O campo da pesquisa, é verdade, foi feito na esteira do atentado contra a vida do candidato, na quinta-feira passada (6), o que pode ter captado mais fortemente uma empatia ou comoção do eleitor em relação ao episódio (o Ibope foi feito entre sábado, 8, e segunda-feira, 10, enquanto o Datafolha, apenas na segunda-feira, 10). Ainda assim, mergulhando na pesquisa, há indicativos de que sua vantagem em relação aos concorrentes não é apenas conjuntural.

Em relação ao levantamento do Ibope do começo do mês, Bolsonaro cresceu quatro pontos percentuais, chegando a 26% das intenções de voto. Também aumentou sua votação na pesquisa espontânea (quando não é apresentado o nome do candidato): passou de 17% para 23%. Esse porcentual é importante porque mostra o quão consolidado o nome do candidato está na cabeça do eleitor (32% dos homens falam que votarão nele sem serem questionados). Além disso, 54% dos seus eleitores dizem que não pretendem mudar o voto, uma taxa de convicção mais alta que a de todos os candidatos (na pesquisa anterior era de 41%).

A rejeição também caiu, embora seja especialmente grande entre as mulheres (50% delas dizem que não votam nele). Ele tinha 44% de rejeição, agora tem 41%. A queda na rejeição foi expressiva entre os mais ricos: passou de 46% entre os que ganham mais de cinco salários mínimos para 39%.

O percentual, no entanto, continua a ser um grande problema para o candidato do PSL no segundo turno, quando o eleitor tende a votar em quem rejeita menos (e pode também alimentar um movimento de voto útil no primeiro turno). Apesar disso, nas simulações de segundo turno do Ibope, Bolsonaro melhorou o desempenho, chegando a empatar em 3 dos 4 cenários – na pesquisa anterior ele perdia em 3 e empatava em 1, contra o candidato do PT, Fernando Haddad. Agora, ele aparece tecnicamente empatado, mas numericamente à frente de Haddad com 40% das intenções de voto contra 36% do petista.

Bolsonaro cresceu também entre grupos que tinham mais resistência a ele, como o de eleitores acima de 55 anos. Passou de 18% das intenções de voto para 26%, um crescimento de 8 pontos percentuais – ele também cresceu entre todas as faixas etárias de 25 a 54 anos.

Ele foi o candidato que mais ampliou sua intenção de voto pelas diferentes regiões do país, chegando a 37% das intenções de voto no Sul – um crescimento de 14 pontos percentuais. Nessa região, que tradicionalmente votava com o PSDB, Geraldo Alckmin ainda encontra como empecilho o candidato do Podemos, Alvaro Dias, que cria um teto de crescimento para o tucano (os dois têm 8% das intenções de voto). Bolsonaro também teve aumento de 5 pontos percentuais nas regiões Sudeste e Centro-Oeste/Norte, onde tem respectivamente 29% e 31% das intenções de voto.

De certa maneira, a intenção de voto de Bolsonaro reprisa o desempenho dos tucanos na eleição de 2014, que foram vitoriosos nas regiões Sul e Centro-Oeste, em São Paulo, Espírito Santo e parte da região Norte (o Nordeste votou com o PT). A região Nordeste foi a única em que ele apresentou queda na intenção de voto: passou de 15% para 12%.

Parafraseando um jargão do mundo político, pesquisa é uma fotografia de momento. Mas, agora, quem está bem na foto é candidato do PSL. Na sexta-feira, haverá novamente pesquisa Datafolha. A ver.

Fonte e informações via G1


Candidato ao Senado, Coronel passa bem após cirurgia e não irá suspender campanha

Quarta feira, 12 de Setembro por Juliana Ribeiro

O candidato ao Senado na coligação do governador Rui Costa (PT) e presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel, foi operado na tarde desta terça-feira (12) no Hospital Aliança e passa bem. Ao lado do candidato, o senador Otto Alencar acompanhou o processo e garantiu que a cirurgia de colecistite – inflamação na vesícula – foi simples, e que o processo de recuperação de Coronel deverá ser tranquilo. 

“Com 4 ou 5 dias ele vai retomar as atividades de campanha. Ele vai ficar em repouso e deve ter alta amanhã à tarde. Provavelmente na segunda-feira, ele deve retomar suas atividades”, comentou Alencar. 


Após a queda,Depuatdo Sargento Isidório (Avante) continua o mesmo doido

Quarta feira 12 de agosto por Juliana Ribeiro/Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba

“Eu bati com a cabeça no chão. Até pensei que o tombo talvez pudesse botar ela no lugar, mas nem isso. Continuo doido do mesmo jeito”

Vítima de uma queda de cima de minitrio domingo em São Francisco do Conde, o deputado estadual Sargento Isidório (Avante), agora candidato a deputado federal, faz campanha normalmente dizendo que quase nada sofreu:

– Eu bati com a cabeça no chão. Até pensei que o tombo talvez pudesse botar ela no lugar, mas nem isso. Continuo doido do mesmo jeito.Isidório diz que o bom é também ser doido por Jesus.


Rui Costa vai culpar São Pedro pelas barragens que não construiu, critica Zé Ronaldo

Quarta feira, 12 de Setembro por Juliana Ribeiro

O candidato do DEM ao governo do estado, Zé Ronaldo, criticou nesta quarta-feira (12) a a atuação do governador Rui Costa contra o problema da seca. Durante visita às cidades de Antas, Santa Brígida e Paulo Afonso, ele apontou a falta de água como grande desafio do sertão baiano.

“Dessa vez ele certamente vai culpar São Pedro pelas barragens que não construiu”, criticou o candidato. Segundo ele, dados da Superintendência de Defesa Civil indicam que 194 municípios baianos estão em situação de emergência, envolvendo 25% da população baiana, o equivalente a 4,1 milhões de habitantes.

Zé Ronaldo apontou ainda que um dos seus projetos no seu plano de governo consiste na construção de uma rede de barragens de médio e pequeno porte, além da implantação de adutoras e a perfuração de poços tubulares profundos.


Paraná Pesquisa;Bolsonaro lidera com 26,6% contra 11,9% de Ciro Gomes

Candidato do PSL aparece em 1º também entre as mulheres e em todas as faixas etárias

O candidato do PSL a presidente, Jair Bolsonaro, aparece na liderança da disputa com 26,6% das intenções de voto no levantamento mais recente do Paraná Pesquisas. Em segundo, aparece Ciro Gomes (PDT) com 11,9%, seguido por Marina Silva (Rede-10,6%), Geraldo Alckmin (PSDB-8,7%) e Fernando Haddad (PT-8,3%).

O senador Alvaro Dias (Podemos) aparece em sexto com 3,7%, seguido por João Amoêdo (Novo-3,3%), Henrique Meirelles (MDB-2,4%), Guilherme Boulos (Psol-0,8%), Vera (PSTU-0,7%), Cabo Daciolo (Patriota-0,6%), João Goulart Filho (PPL-0,4%) e Eymael (DC-0,2%). Para 16%, nenhum dos candidatos merece o voto e 5,8% não souberam responder.

O Paraná Pesquisas ouviu 2.010 eleitores em 167 municípios de 26 estados e do Distrito Federal entre os dias 7 e 11 de setembro. O grau de confiança do levantamento é de 95% com margem de erro de 2% para mais ou menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitora sob o código BR-02410/2018.


Ex-ACM Neto, Cláudio Cajado passa poucas e boas em campanha do lado de Rui

 Quarta feira 12 de agosto por Juliana Ribeiro/Foto Divulgação/Arquivo

Cláudio Cajado foi o único deputado ligado a ACM Neto a romper com ele e aderir a Rui Costa nesta campanha

A adesão à campanha do governador Rui Costa (PT) no momento seguinte à decisão do prefeito ACM Neto (DEM) de não concorrer ao governo do Estado tem levado o deputado federal Cláudio Cajado (DEM) a passar por poucas e boas nesta campanha. A começar pelo programa dos candidatos a deputados da base de Rui, que classifica políticos como ele, que votaram a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), e de projetos propostos pelo presidente Michel Temer (MDB), como golpistas, o que também acontece em palanques do petista no interior. Revoltado com o prefeito depois de sua decisão de não concorrer, Cajado rompeu com ele e formalizou sua adesão ao governador nos dias seguintes. Foi o único deputado do grupo a tomar a decisão.


Operação Piloto: Moro ordena bloqueio de R$ 50 milhões de envolvidos

Quarta feira, 12 de Setembro por Juliana Ribeiro

Operação investiga o envolvimento de funcionários públicos e empresários com a empreiteira Odebrecht no favorecimento de licitação para obras em rodovia

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou o bloqueio de R$ 50 milhões em bens de cinco alvos da Operação Piloto, 53ª fase da Lava Jato, deflagrada ontem (11).

Na operação, que investiga o envolvimento de funcionários públicos e empresários com a empreiteira Odebrecht no favorecimento de licitação para obras na rodovia estadual PR-323, foram presos Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete do ex-governador Beto Richa; Jorge Theodócio Atherino, empresário apontado como operador financeiro do ex-governador, e Tiago Correia Adriano Rocha, indicado como operador financeiro de Atherino.

Na mesma decisão em que autorizou a prisão, Moro determinou o bloqueio de R$ 10 milhões de cada um dos cinco alvos da operação, somando o valor de R$ 50 milhões. Além de Roldo e Atherino, foram confiscados bens nas contas das empresas Start Agência de Notícia e RF Partipações, bem como de Flora Leito Atherino, “já que há suspeita de que a conta seja utilizada por Jorge Theodócio Atherino”.

Segundo o Ministério Público Federal, Roldo teria recebido R$ 4 milhões de propina para beneficiar a Odebrecht na licitação de um trecho da duplicação da PR-323. Moro justifica o valor mais alto no bloqueio, por considerar “não só o montante da suposta vantagem indevida, mas igualmente o volume de operações suspeitas de lavagem e que são substancialmente maiores”.

“Observo que a medida ora determinada apenas gera o bloqueio do saldo do dia constante nas contas ou nos investimentos, não impedindo, portanto, continuidade das atividades econômicas dos investigados. No caso das pessoas físicas, caso haja bloqueio de valores atinentes a salários, promoverei, mediante requerimento, a liberação”, ressalvou Moro.

Beto Richa, candidato a uma vaga no Senado pelo Paraná, também foi preso na terça-feira (11), no âmbito da Operação Radiopatrulha, que investiga irregularidades no programa Patrulha do Campo, lançado por seu governo entre os anos 2012 e 2014.


Pesquisa Ibope: Bolsonaro, 26%; Ciro, 11%; Marina, 9%; Alckmin, 9%; Haddad, 8%

Terça, 11 de Setembro  Por Luiz Felipe Barbiéri, G1, Brasília  as 19:15

Em compensação, presidenciável do PSL ganharia apenas de Fernando Haddad (PT) em possível segundo turno

O Ibope divulgou nesta terça-feira (11) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. Os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 26%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Marina Silva (Rede): 9%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
  • Fernando Haddad (PT): 8%
  • Alvaro Dias (Podemos): 3%
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Henrique Meirelles (MDB): 3%
  • Vera (PSTU): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): %
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 19%
  • Não sabe/não respondeu: 7%

Evolução da intenção de voto

Compare a intenção de voto nos candidatos que ocupam as seis primeiras posições da pesquisa em relação aos levantamentos anteriores:Pesquisas Ibope / eleição presidencial 2018

Percentuais de intenção de votoJair Bolsonaro (PSL)Ciro Gomes (PDT)Marina Silva (Rede)Geraldo Alckmin (PSDB)Fernando Haddad (PT)Alvaro Dias (Podemos)

● Ciro Gomes (PDT): 11
Fonte: Ibope

Simulações de 2º turno

  • Ciro 40% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 18%; não sabe/não respondeu: 4%)
  • Alckmin 38% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 21%; não sabe/não respondeu: 4%)
  • Bolsonaro 38% x 38% Marina (branco/nulo: 20%; não sabe/não respondeu: 4%)
  • Haddad 36% x 40% Bolsonaro (branco/nulo: 19%; não sabe/não respondeu: 5%)

Rejeição

O Ibope também mediu a taxa de rejeição (candidatos nos quais o eleitor diz que não votará de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os índices:

  • Bolsonaro: 41%
  • Marina: 24%
  • Haddad: 23%
  • Alckmin: 19%
  • Ciro: 17%
  • Meirelles: 11’%
  • Cabo Daciolo: 11%
  • Eymael: 11%
  • Boulos: 11%
  • Vera: 11%
  • Amoêdo: 10%
  • Alvaro Dias: 9%
  • João Goulart Filho: 8%
  • Poderia votar em todos: 2%
  • Não sabe/não respondeu: 11%

Evolução da rejeição

Compare a taxa de rejeição dos candidatos que ocupam as seis primeiras posições em relação aos levantamentos anteriores do Ibope: Taxa de rejeição / candidatos a presidente 2018

Percentual de rejeiçãoJair Bolsonaro (PSL)Marina Silva (Rede)Ciro Gomes (PDT)Geraldo Alckmin (PSDB)Fernando Haddad (PT)Alvaro Dias (Podemos)17-19ago1-3set8-10set01020304050
Fonte: Ibope

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 2.002 eleitores em municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: de 8 a 10 de setembro
  • Registro no TSE: BR-05221/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratante da pesquisa: Ibope Inteligência

STF rejeita denúncia de racismo contra Jair Bolsonaro

Terça, 11 de Setembro  Por Luiz Felipe Barbiéri, G1, Brasília  

Ministro Alexandre de Moraes desempatou julgamento ao votar a favor do presidenciável; caso será arquivado. Bolsonaro foi denunciado pela PGR por falas consideradas racistas em palestra no Rio.

Por 3 votos a 2, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL), que foi acusado do crime de racismo em relação a quilombolas e refugiados.

O julgamento começou no último dia 28 e foi suspenso por um pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes. Na ocasião, o placar estava empatado em 2 a 2. Nesta terça-feira (11), Moraes trouxe seu voto pela rejeição da acusação.

“Apesar do erro das declarações, não me parece que a conduta teria extrapolado os limites para um discurso de ódio, de incitação ao racismo, de xenofobismo”, afirmou Moraes.

Os ministros Marco Aurélio, relator do processo, e Luiz Fux já tinham votado por rejeitar a denúncia. Do outro lado, Luís Roberto Barroso e Rosa Weber foram favoráveis ao recebimento da denúncia (em relação somente aos quilombolas) e consequente abertura de ação penal, mas acabaram vencidos


Datafolha; Pesquisa aponta que 49% do eleitorado não vota em candidato de Lula

11 de Setembro por Marina Dias | Folhapress

A cúpula do PT aprovou por unanimidade o nome de Fernando Haddad como substituto do ex-presidente Lula na chapa do partido ao Planalto. Em reunião nesta terça-feira (11), em Curitiba, a executiva nacional do PT chancelou, após carta enviada por Lula, Haddad como candidato oficial da sigla.

Ainda sobre o Datafolha, a pesquisa aponta que 49% dos entrevistados não votariam no candidato apoiado por Lula. A mesma pesquisa, como mostramos ontem à noite, trouxe Fernando Haddad (oficializado hoje) com 9% das intenções de voto.