Jaguaquara:Promotor diz que amizade do prefeito com governador atrapalha segurança

Quinta, 06 de Abril  por Julliana Ribeiro via Bmf //Foto:Foto: Reprodução Bmf

O discurso do promotor de Justiça, Lúcio Meira Mendes, na sessão da Câmara de Jaguaquara no noite desta quarta-feira (5), que debateu segurança pública, chamou a atenção pelas duras críticas direcionadas aos representantes políticos do Município, com alfinetadas ao governador Rui Costa, ao seu vice João Leão e ao deputado federal Cacá Leão, votados na cidade há anos. Segundo as informações do Blog Marcos Frahm, o prefeito Giuliano Martinelli, que acompanhava sentado o discurso do promotor, foi um dos principais alvos das críticas. O maior constrangimento ocorreu quando o promotor se referiu ao prefeito como amigo do governador e, apesar desses laços estreitos, os benefícios não chegam a Jaguaquara, inclusive no que se refere a área de segurança pública. Ao elogiar o trabalho da Cipe Central na região, e dizer que reconhece que a unidade instalada em Jequié é atuante, disse que sem o apoio político nada funciona e classificou o comandante da Cipe, Major Fábio Rodrigo, de amigo do governador, ao dizer que ”se tem um amigo do governador é o senhor, porque o prefeito passou vinte minutos numa rádio dizendo que era o melhor amigo do governador, ele e Lealdade [empresário da cidade e líder do PT local], mas não consegue trazer benefícios”, disse o promotor. Continuar lendo

E as críticas continuaram. ”Essa amizade de vossa excelência com o governador tem servido só para atrapalhar Jaguaquara. Eu acho que o governador pensa assim: se eu não estiver enganado: ora, ali já está dominado, cheio de amigos e não precisa levar mais nada. Vamos levar para Maracás, para Jequié, para Amargosa”, e deixou o prefeito em uma tremenda saia justa. O vice-governador, João Leão, também não escapou das críticas. Leão, padrinho político do prefeito, votado em Jaguaquara desde quando exercia mandatos de deputado, e o seu filho, deputado federal Cacá Leão, foram alvos de apupos, sendo citados nominalmente. Cacá obteve nas urnas, mais de 09 mil votos nas eleições de 2014 com o apoio do prefeito, que foi reeleito para comandar o Executivo em 2016. Para o representante do MP, pela votação expressiva que Leão e Cacá obtiveram no Município, não tiveram força para garantir a instalação da Cipe em Jaguaquara, pois a mesma foi instalada em Jequié. ”Tecnicamente falando, o município mais adequado para a instalação da Cipe era Jaguaquara”, justifica. ”Mas a decisão foi política”, inclusive citou que a primeira-dama do Estado, Aline Peixoto, é jequieense e intercedeu pela sua terra natal, Jequié. O promotor demonstrou descontentamento com a instalação de uma Companhia Independente da PM em Maracás, cidade de porte menor, fazendo comparativo de que, apenas em 2016, foram registrados 300 inquéritos em Jaguaquara e que Maracás não passou de 70. Classificou a instalação como um absurdo e que para a instalação a PM teve que tomar cidades que integravam a região a 3ª Cia da PM de Jaguaquara, como Itiruçu, Lajedo do Tabocal e Lafaiete Coutinho. ”Foram esses municípios retirados de Jaguaquara para compor Maracás e a distorção ficar mais ridícula”. Disse ainda que o prefeito deveria ser inimigo do governador, porque a amizade com Rui só tem trazido prejuízo para a cidade. Lúcio, em dado momento do seu afogueado discurso, relembrou o incêndio provocado por detentos na Delegacia de polícia de Jaguaquara, fato ocorrido em 2009 e que desde à época do episódio até hoje, a unidade prisional apresenta sérios problemas estruturais, sem nenhuma providência do Estado e que existem portas na Delegacia que estão em condições piores do que a cancela da fazenda do prefeito. *Nota do Blog Marcos Frahm


Comentários fechados.

Notícias Relacionadas