Otto defende Wagner no Senado: ‘Quero levar mais um cabeça branca’

Sexta 31 de Março por Juliana Ribeiro , Via B.Ba- Foto: Manu Dias/ GOVBA

Senador reforçou os laços com o governador Rui Costa e prometeu “continuar junto para Bahia dar certo”

Se depender do senador Otto Alencar (PSD), o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner (PT), estará no Senado em 2019. Em um evento em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo baiano, nesta sexta-feira (31), o congressista defendeu a candidatura do petista na próxima eleição.

“[Wagner] é secretário, mas lá na frente vai estar conosco, porque já é um dos candidatos a senador anunciados, e lá no Senado Federal já tem um cabeça branca e quero levar o outro comigo”, disse Otto, em seu discurso. O senador já afirmou, a imprensa, que o PSD pode brigar  por uma vaga na chapa majoritária na próxima eleição. Neste cenário, especula-se que o secretário estadual de Educação, Walter Pinheiro (sem partido), se filiaria à legenda para tentar a renovação do mandato.

Ainda na sua fala, o senador reforçou os laços com o governador Rui Costa (PT). O elogiou por “arrumar as finanças do Estado e está pagando o salário rigorosamente os funcionários”. “Vamos continuar juntos para continuar juntos para a Bahia continua a dar certo”, prometeu.


Dep Alan Castro, sugere rebelião do PSL contra Rui por falta de diálogo sobre aumento de espaço

Sexta 31 de Março por Juliana Ribeiro /Foto-Ascom Alba
Alan Castro, líder do PSL na AL-BA | Foto: Jefferson Peixoto/ Ag. Haack/

A bancada do PSL na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) não esconde o incômodo com o governador Rui Costa. Os deputados do partido estão descontentes com o fato de ainda não terem se reunido com o petista para discutir o aumento de espaço da sigla na gestão. No último dia 13 de março, em um almoço do governador com líderes de agremiações aliadas ao governo, Rui havia prometido receber, em até 15 dias, os sociais-liberais para ouvir seus pleitos (relembre). Entretanto, passado o prazo, os parlamentares ainda não sabem quando poderão se sentar à mesa de negociações com o chefe do Executivo estadual. Em entrevista ao Bahia Notícias, o líder do PSL na AL-BA, Alan Castro, afirmou que a postura de Rui pode desencadear uma insurgência entre os deputados, algo que pode levá-los a votar contra projetos do governo por se sentirem “desprestigiados”. “Corre esse risco de os deputados não quererem votar achando que há um desprestígio. A gente está descontente. Ontem cobrei a Josias [Gomes, secretário de Relações Institucionais] que ele marcasse uma data para a reunião. Tem 15 dias que ficou de marcar e não marcou. A bancada está incomodada e está trabalhando inquieta”, criticou Castro. “Já deveríamos ser atendidos. Estamos esperando a boa vontade do governador encontrar um espaço na sua agenda para nos atender”, alfinetou. O parlamentar ainda reclamou do estilo de gestão de Rui, que, segundo ele, faz “muita parte institucional, mas deixa a política de lado”. “As eleições estão chegando e não pode haver esse problema na base aliada”, alertou. Castro ainda voltou a dizer que os espaços atualmente destinados a algum deputado do PSL no governo são somente o presidente estadual da sigla, Marcelo Nilo. “A gente quer ouvir do governador se a estrutura lá é da gente ou do Marcelo Nilo. Se ele disser que é da gente, nós vamos nos sentar com Nilo para rediscutir os espaços”, afirmou. A ampliação dos espaços da agremiação na administração é uma reivindicação antiga dos deputados. Não atendidos, eles saíram da base governista e montaram um bloco independente na Casa Deputados do PSL na AL-BA montam “bloco independente” e desfalcam Rui. Do PSL, somente Marcelo Nilo ficou ao lado de Rui.


MP pede ao TSE que casse chapa Dilma-Temer e torne Dilma inelegível

Quinta, 30 de Março por Juliana Ribeiro
          Dilma e Temer /Foto: gnews reprdução

O Ministério Público Federal pediu ao Tribunal oSuperior Eleitoral a cassação dos diplomas de Dilma Rousseff e Michel Temer, eleitos presidente e vice em 2014. O parecer também pede que Dilma fique inelegível pelos próximos oito anos. A manifestação ocorreu na ação que pode cassar a chapa Dilma-Temer. O TSE começa a julgar o caso na próxima terça (4).

Fonte e informações vai G1

Quitéria vai assumir Fundação Luís Eduardo Magalhães

Quinta, 30 de Março por Juliana Ribeiro 

Eleição na FLEM será realizada na tarde desta quinta-feira (30) pelo conselho da instituição apenas para aprovar o nome, avalizado por Wagner

Foto: Carol Garcia/GOVBA

Sem cargo público desde que passou o comando da União dos Municípios da Bahia para o seu escolhido,Eures Ribeiro (PSD), prefeito de Bom Jesus da Lapa, a ex-presidente da UPB, Maria Quitéria (PSB), vai assumir a presidência da Fundação Luís Eduardo Magalhães (Flem). Ela era cotada para assumir a Defesa Civil Estadual

Conforme informações a imprensa da capital onde apurou que uma eleição será realizada na tarde desta quinta-feira (30) pelo Conselho de Administração (Conad) da instituição apenas para aprovar o seu nome, que tem o aval do ex-governador e atual secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner. A indicação não é do partido de Quitéria.

A ex-prefeita de Cardeal da Silva vai substituir o atual comandante da Flem, o mineiro Jones Carvalho (PT), que coincidentemente anunciou o adiamento da entrega do título de cidadão baiano concedido a ele pelo deputado estadual Gika Lopes (PCdoB). A homenagem estava marcada para esta sexta (31), às 9h, na Assembleia Legislativa, mas, em função de manifestações políticas contra o presidente Michel Temer (PMDB), previstas na data, foi postergada para o próximo dia 2 de julho, que também é o feriado da Independência da Bahia.

Avaliada como detentora de boa densidade eleitoral, Maria Quitéria é um dos nomes cotados na base aliada do governador Rui Costa para ser candidata a deputada estadual, ou mesmo federal, na eleição de 2018.


Salvador, no aniversário da Cidade prefeito comenta legado de gestão

Quarta, 29 de Março por Juliana Ribeiro //Foto: Max Haack / Secom

Nos 468 anos de Salvador, o prefeito ACM Neto avaliou o legado deixado pela sua administração de pouco mais de quatro anos. Segundo ele, os benefícios levados à população se tornaram possíveis graças à ampliação dos serviços públicos e ao equilíbrio nas contas públicas. “As pessoas voltaram a ter motivo de falar bem de Salvador e isso não tem preço. Eu acho que isso é o maior legado, que não se traduz em obras, em projetos, mas no sentimento que a gente acaba conseguindo perceber de cada morador, de cada pessoa que vem, que ama essa cidade e que gosta dela”, comentou o prefeito. O prefeito lembrou ainda que há R$ 600 milhões de investimentos em obras espalhadas pela cidade e considera que o montante garante perspectivas melhores para a capital baiana. “Os 468 anos vêm marcado por um momento em que essas grandes transformações estão se consolidando”, disse.


Chapa Dilma-Temer: Não dá para prever data final de julgamento, afirma Gilmar Mendes

Quarta, 29 de Março por Camila Matos/ via Ag/Brasil
O ministro do Superior Tribunal Federal, Gilmar Mendes fala sobre o  (Elza Fiúza/Agência Brasil)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, afirmou nesta quarta (29) que não dá para se prever uma data final para o julgamento da ação contra a chapa Dilma-Temer. O julgamento começará na próxima semana, quando irão ocorrer quatro sessões. A primeira é na manhã da próxima terça-feira (4). A ação poderá levar à cassação do mandato do presidente Michel Temer, uma vez que a ex-presidente Dilma Rousseff sofreu impeachment no Congresso. “Não dá [para prever se será um julgamento longo]. Não sabemos quantos incidentes vamos ter”, afirmou Mendes. Ainda cabe recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF).


JULGAMENTO DA CHAPA DILMA-TEMER DEVE SER NA PRÓXIMA SEMANA, DIZ MENDES

Terça, 28 de Março  por Juliana Ribeiro //Foto: NELSON JR/TSE

PRESIDENTE DO TSE CONFIRMOU QUE TRIBUNAL DEVE COMEÇAR A ANALISAR A AÇÃO NA A PARTIR DA PRÓXIMA SEMANA; RELATOR DO CASO JÁ PEDIU QUE A CORTE AGENDE A DATA DO JULGAMENTO 

O presidente Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, marcou para terça-feira (4), às 9h, o início do julgamento da ação em que o PSDB pede a cassação da chapa Dilma-Temer, que disputou as eleições presidenciais de 2014. Para analisar o processo, foram marcadas quatro sessões na semana que vem.

A última etapa do processo foi concluída ontem (28) pelo relator, ministro Herman Benjamin, que enviou aos demais integrantes do colegiado o relatório final. Ao concluir o processo, Herman pediu a Gilmar Mendes que inclua o processo imediatamente na pauta, conforme prevê a Lei de Inelegibilidade (Lei Complementar 64/1990).

No relatório, que é mantido em sigilo pelo relator, há uma síntese sobre a fase de coleta de provas, entre as quais estão os depoimentos de delação premiada de executivos da empreiteira Odebrecht, que citaram supostos pagamentos irregulares para a campanha presidencial. O voto de Herman Benjamin será conhecido somente no dia do julgamento.

Apesar do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, a ação prosseguiu porque os dois integrantes da chapa podem ficar inelegíveis por oito anos se o TSE entender pela cassação do resultado da eleição de 2014. Se a ação for julgada procedente, o Congresso Nacional fará uma eleição indireta para escolher um novo presidente. O tribunal também pode decidir dar posse ao segundo colocado, o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Processo

Em dezembro de 2014, as contas da campanha da então presidenta Dilma Rousseff e de seu companheiro de chapa, Michel Temer, foram aprovadas com ressalvas, por unanimidade, no TSE. No entanto, o processo foi reaberto porque o PSDB questionou a aprovação por entender que há irregularidades nas prestações de contas apresentadas por Dilma, que teria recebido recursos do esquema de corrupção investigado na Operação Lava Jato. Segundo entendimento do TSE, a prestação contábil da presidenta e do vice-presidente é julgada em conjunto.

A campanha de Dilma Rousseff nega qualquer irregularidade e sustenta que todo o processo de contratação das empresas e de distribuição dos produtos foi documentado e monitorado. No início do mês, a defesa do presidente Michel Temer sustentou no TSE que a campanha eleitoral do PMDB não tem relação com os pagamentos suspeitos. De acordo com os advogados, não se tem conhecimento de qualquer irregularidade no pagamento dos serviços


Polícia prende ex-vice-prefeito de Santo Amaro

Por Juliana Ribeiro/ Foto Divulgação
Na manhã desta terça-feira (28), foi preso o ex-vice-prefeito da cidade Santo Amaro, Leonardo Pacheco (PSB). A prisão aconteceu no município que fica no Recôncavo Baiano, e foi feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) Pacheco já tinha sido preso pela Operação Adsumus, deflagrada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), no ano passado. Leonardo, que estava em liberdade, é acusado de envolvimento em crimes de fraude em licitações, peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa e foi o candidato do atual ex-prefeito, Ricardo Machado (PT), também envolvido em fraudes licitatórias.
Segundo o MP-BA, as pessoas presas durante a operação são acusadas por crimes de fraude em licitações, peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa na montagem e execução de um esquema fraudulento que teria causado um prejuízo de aproximadamente R$ 20 milhões aos cofres públicos.
Ainda de acordo com o MP-BA, a operação identificou 20 contratos, firmados entre 2011 e 2015, que se referem desde reformas de escolas à construção de creches. O órgão diz que foi constatado um total de 18 obras inacabadas, cujos valores contratados estavam incompatíveis com o estágio e a dimensão do empreendimento.

Após sucessivos desgastes com legislativo, Rui opta por tensão ao desdenhar da AL-BA

Terça, 28 de Março por Fernando Duarte /Foto: Amanda Oliveira/GOVBA

Rui ao lado do presidente da AL-BA, Angelo Coronel

A relação entre a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) e o governador Rui Costa passa por altos e baixos desde os primeiros meses da administração do petista. Porém, no último mês, o governador resolveu intensificar o ruído de comunicação e, sem interlocutores, ampliou a tensão ao, pela imprensa, criticar projetos encaminhados e discutidos no legislativo baiano – ainda que propostos pela oposição. A primeira fala pouco cortês de Rui envolve o projeto que permite que parlamentares apresentem propostas que onerem o Estado. Do ponto de visto do governo, é natural que haja uma rejeição, afinal a execução final do orçamento cabe a ele. Porém faltou “bom senso”, para parafrasear o próprio Rui, ao invadir a competência dos deputados, que tem por obrigação legal discutir projetos de lei. A cereja – azeda – do bolo, no entanto, foi a forma como o governador tratou o pedido de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Centro de Convenções. “Eu ficaria mais feliz se alguém tivesse dando sugestão de bons projetos e boas ações que a gente pudesse melhorar a vida das pessoas”, alfinetou, sugerindo que, por situações assim, políticos são vaiados. Ainda que politicamente os proponentes da CPI sejam adversários políticos, o que até justifica o questionamento do próprio Rui sobre a falta de estudos aprofundados sobre a reforma que inseriu estruturas de metal próximos ao mar, subjugar o legislativo não é uma cortesia para o chefe de um Poder com a envergadura que Rui adotou nos últimos anos. Se as pessoas pensam: “Esse cara ganha tanto para ficar fazendo isso? Essa é a função dele e é isso que ele tem pra contribuir com a minha vida?”, como disse o próprio Rui, o questionamento acaba por enquadrar o próprio governador.


JOÃO DÓRIA JÚNIOR QUESTIONA SAÚDE MENTAL DO EX-MINISTRO CIRO GOMES

Terça, 28 de Março  por Juliana Ribeiro // Foto:Reprodução

PREFEITO DESCONFIA QUE O EX-MINISTRO PODE TER PERDIDO O JUÍZO , EM SUA METRALHADORA GIRATÓRIA, CIRO ATÉ AMEAÇOU RECEBER “NA BALA” A “TURMA DE MORO”, OU SEJA, A POLÍCIA FEDERAL.

A saúde mental do ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE) voltou a ser mencionada e, desta vez por João Dória Jr (PSDB). O prefeito de São Paulo reagiu à metralhadora giratória do político cearense, que esta semana ameaçarecebeu “na bala” a “turma do Moro”, caso venha a ser alvo de mandado de prisão.

Dória acha que Ciro, que o chamou de “farsante”, “devia se preocupar é com o estado dele, primeiro o pessoal, de saúde mental, depois o Ceará, que é o Estado que ele representa”. O prefeito é mais um político que se refere à crescente excitação do ex-ministro, com declarações públicas cada vez mais agressivas e desproporcionais.

O cearense, que tenta viabilizar sua candidatura presidencial, disse que Doria força uma imagem errada de “antipolítico”, afirmando que ao chefiar a Embratur no governo Sarney, “saiu debaixo de muitas irregularidades no Tribunal de Contas da União e foi violentamente criticado por uma propaganda do turismo brasileiro com bundas de mulher na praia, estimulando claramente o turismo sexual”.

O prefeito lembrou uma declaração machista de Ciro em 2002, quando afirmou que sua mulher na época, atriz Patricia Pillar, tinha um dos papéis mais importantes na disputa: “Dormir comigo”. Para Dória, o cearense Ciro “não é exatamente a pessoa mais indicada para falar das questões das mulheres, né? Ele tratou a esposa como tratou, não é exatamente uma pessoa que tem perfil e autoridade pra falar sobre isso.”