SVAZIAR SESSÃO DEVE SER ESTRATÉGIA PARA EVITAR DENÚNCIA CONTRA TEMER

Domingo 18 de Junho por Camila Matos//Foto:Agencia Câmara

ALIADOS DE TEMER DEVEM ESVAZIAR SESSÃO PARA IMPEDIR 342 VOTOS, SEM QUÓRUM, OPOSIÇÃO NÃO CONSEGUIRÁ OS 342 VOTOS PARA ACEITAR DENÚNCIA DA PGR

Aliados do presidente da República, Michel Temer, definiram a principal estratégia para mantê-lo no cargo quando o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentar a denúncia contra o peemedebista: esvaziar as sessões da Câmara dos Deputados.

O objetivo é simples. Como no caso de um pedido de impeachment, são necessários 342 votos para que a denúncia seja aceita, Temer seja afastado do cargo e o Supremo Tribunal Federal (STF) seja autorizado a prosseguir com o julgamento.

Na prática, Temer não precisa de votos de nenhum deputado, mas a oposição fica obrigada a atingir votação de dois terços dos 513 deputados para retirá-lo do Planalto, ainda que temporariamente.

A votação é idêntica à do impeachment, com chamada nominal de cada um dos deputados. A segunda chamada dos faltosos não é obrigatória e as regras serão definidas pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Pelas contas de membros do alto escalão do governo, a base de apoio a Temer na Câmara gira em torno de 240 parlamentares e a oposição conta com pouco mais de 100. Com esses números, é bastante improvável que sejam atingidos os 342 votos necessários, apesar de todo o barulho da oposição.

“A chance da oposição ter os 342 votos para aprovar a denúncia é a mesma que o sargento Garcia tem de prender o Zorro”, disse o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), um dos principais aliados do Planalto.


NÃO CABE À OAB “COMENTAR RITOS” DE PEDIDOS DE IMPEACHMENT, DIZ MAIA

Sábado, 17 de Junho, por Camila Matos //Foto:Agencia Câmara

PRESIDENTE DA OAB DISSE QUE MAIA PRECISA DECIDIR COM URGÊNCIA SOBRE PEDIDOS

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), rebateu neste sábado as declarações do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, de que é preciso “pautar com urgência a análise dos pedidos de impeachment” contra o presidente Michel Temer. Para Maia, não cabe à OAB “comentar ritos do processo legislativo”.

“Não me cabe comentar as resoluções do Conselho Federal da OAB, não sou comentarista de agenda de advogados”, ironizou. “Como também não creio que caiba ao presidente da OAB comentar ritos e procedimentos do processo legislativo”, disse.

As declarações de Maia foram uma resposta ao comunicado divulgado mais cedo pela OAB sobre a entrevista concedida pelo empresário Joesley Batista, da JBS, à Revista Época. Diante das acusações feitas por Joesley na entrevista, Lamachia afirmou que a Câmara “não pode continuar agindo com cinismo, como se nada estivesse acontecendo no país”.

“O presidente da Câmara deve satisfação à população e, por isso, precisa pautar com urgência a análise dos pedidos de impeachment”, argumentou o presidente da OAB em nota. A OAB protocolou um pedido de afastamento do peemedebista na Câmara em 25 de maio. A entidade máxima da advocacia atribui a Temer crime de responsabilidade, em violação ao artigo 85 da Constituição no episódio JBS. No total, já são 20 pedidos de impedimento contra o presidente da República.

Na entrevista, Joesley afirmou que o presidente Michel Temer é chefe de organização criminosa. “O Temer é o chefe da Orcrim (organização criminosa) da Câmara. Temer, Eduardo (Cunha, deputado cassado), Geddel (Vieira Lima, ex-ministro da Secretaria de Governo do governo Temer), Henrique (Eduardo Alves ex-ministro do Turismo no governo Temer), (Eliseu) Padilha (atual ministro da Casa Civil) e Moreira (Franco, atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência). É o grupo deles. Quem não está preso está hoje no Planalto. Essa turma é muita perigosa”, afirmou Joesley.


Salário de Aécio será mantido, mas com desconto, informa Senado

Quarta, 14 de Junho por Juliana Ribeiro //Foto: Divulgação/PSDB

Além do desconto na remuneração, o Senado suspendeu a verba indenizatória do tucano e recolheu o veículo oficial utilizado por ele

Ao contrário do que foi  informado anteriormente,a remuneração do senador afastado Aécio Neves (PSDB) não será cortada integralmente, anunciou a assessoria do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).De acordo com o G1, haverá descontos de valores relativos às ausências do parlamentar às sessões deliberativas. Além do desconto no salário, o Senado suspendeu a verba indenizatória do tucano e recolheu o veículo oficial utilizado por ele.

O nome de Aécio foi retirado do painel de votações e da lista dos senadores em exercício. Agora, no portal do Senado na internet, Aécio figura na lista dos senadores afastados do mandato.


Senado corta salário, verba indenizatória e toma carro de Aécio

Quarta, 14 de Junho por Juliana Ribeiro /Foto: Edilson Rodrigues /AG.Senado

Comunicado, por ofício, foi encaminhado ao ministro Marco Aurélio Mello, relator do processo do tucano no STF, pelo presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE)

Fase ruim para o mineirinho Aécio Neves. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, aproveitou o início da tarde desta quarta-feira (14) para contar ao ministro Marco Aurélio, do STF, que o Legislativo suspendeu o pagamento da remuneração do tucano, que gira em torno dos R$ 34 mil.
Leia o documenta na integra:

Ala de deputados tucanos ameaça dissidência do governo Temer

Quarta feira, 14 de Junho, por Juliana Ribeiro /Foto: José Cruz/Agência Brasil

Grupo conhecido como ‘cabeças pretas’ articula votar pela autorização de abertura de inquérito caso Temer seja denunciado pela Procuradoria

Reunião entre base governista e cúpula PSDB. Arquivo. 

A decisão do PSDB permanecer no governo Michel Temer (PMDB) não pôs fim à divisão interna do partido. Poucas horas depois da reunião da executiva que selou a manutenção da aliança, a ala conhecida como “cabeças pretas” se reuniu para articular a formação de um bloco dissidente na bancada da Câmara dos Deputados.

Conforme o jornal O Estado de São Paulo, liderados pelo deputado Daniel Coelho (PE), esses parlamentares tucanos defendem o rompimento com o Palácio do Planalto e prometem votar a favor de abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) contra Temer, no caso da esperada denúncia da Procuradoria-Geral da República. Para julgar Temer, o STF precisa de autorização da Câmara. A estimativa entre os tucanos é de que, dos 46 deputados federais da sigla, 14 defendem o desembarque do governo.

Reservadamente, alguns deputados falam até em deixar a sigla caso se cristalize a permanência no governo federal. De acordo com a coluna Painel, do jornal Folha de SP, pelo menos cinco deputados tucanos estariam negociando a transferência para o PSL.

Se a denúncia da PGR se confirmar na próxima semana, os aliados do peemedebista esperam barrar a votação na Câmara dos Deputados antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.


Aleluia anuncia obstrução para impedir votação da PEC das Diretas

Terça feira, 13 de Junho por Juliana Ribeiro

Deputado federal afirma que há um trabalho das minorias para criar uma “instabilidade” no país com pedido de eleição popular

Foto: Cleia Viana / Câmara dos DeputadosFoto: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

O deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) disse, nesta terça-feira (13), que a base do governo vai se valer do chamado “kit obstrução” para impedir a votação da PEC das Diretas, que prevê eleições para presidente e vice-presidente da República em caso de vacância a qualquer tempo, exceto nos seis últimos meses do mandato.

A admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição é analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). O primeiro item do chamado “kit obstrução” pretende a votação nominal do requerimento de inversão de pauta. Na prática, como a PEC é o único item da pauta, a medida pretende apenas prolongar o início dos debates.

Para Aleluia, a Assembleia Constituinte foi “sábia” ao decidir por eleições indiretas nos dois últimos anos do mandato e não há motivo para alterar as regras. “Não se pode fazer uma eleição em 30 dias, caso as vacâncias ocorressem no último mês do mandato, por exemplo”, disse, ao pontuar que há um trabalho das minorias para criar uma “instabilidade” no país.


PSDB recorrerá de decisão do TSE, afirma Tasso Jereissati

terça feira 13 de Junho, por Juliana Ribeiro,//Foto:/Foto: Divulgação/Facebook

Presidente admite que legenda é “incoerente” ao ingressar com recurso e, ao mesmo tempo, se manter na base de Temer: “Este não é o meu governo”

O presidente interino do PSDB, o senador Tasso Jereissati, afirmou, nesta segunda-feira (12), que o partido vai recorrer da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que rejeitou cassar a chapa Dilma-Temer.“Minha opinião é de recorrer. Nós é que entramos com a ação. Achamos que houve corrupção e uso indevido do dinheiro público”, disse o tucano, segundo informações do jornal Valor Econômico.

De acordo com a publicação, o presidente reconheceu que “incoerência” do PSDB que deve ingressar com recurso contra decisão do TSE, mas decidiu permanecer na base do presidente Michel Temer (PMDB). “Com certeza existe uma incoerência nisso. Mas é uma incoerência que a história nos colocou. Este não é o meu governo, não é o governo dos meus sonhos, não votei nele. Vamos continuar no governo Temer, sem renunciar às nossas convicções anteriores. Devemos estar juntos em nome da estabilidade que o país precisa”, afirmou.


PSDB decide permanecer no governo de Michel Temer

terça feira 13 de Junho, por Juliana Ribeiro,//Foto: André Dusek/Agência Estado

Os principais líderes e dirigentes da sigla defenderam a manutenção do apoio, em nome da aprovação da agenda de reformas proposta pelo peemedebista

Tucanos concluíram que é melhor permanecer no governo do que abandonar presidente Michel Temer

Principal fiador do presidente Michel Temer no Congresso Nacional, o PSDB decidiu na noite desta segunda-feira, 12, em reunião ampliada da executiva nacional e de demais lideranças do partido, que vai permanecer na base aliada. Os tucanos adotarão o discurso de que não podem desembarcar agora do governo, sob o argumento de que um eventual rompimento com Temer poderia prejudicar a aprovação das reformas da Previdência e trabalhista. Na reunião, prevaleceu o entendimento de que, enquanto as reformas estiverem tramitando no Congresso Nacional, o PSDB deve continuar ao lado de Temer. Nos bastidores, tucanos também defendem que, após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) absolver Temer da cassação, a legenda deve agora aguardar a possível denúncia contra o presidente que o procurador-geral da República Rodrigo Janot, pode apresentar até o fim de junho. Ex-ministro das Relações Exteriores de Temer, o senador José Serra (SP) foi o primeiro a anunciar a decisão. Em entrevista à imprensa, ele afirmou que a maioria dos tucanos decidiu se manter na base aliada até que novos fatos surjam. “O PSDB não fará nenhum movimento agora no sentido de sair do governo. Se os fatos mudarem, terão outras análises”, afirmou o parlamentar. “É um governo que tocou adiante compromissos que assumiu conosco. Isso é visto como algo positivo”, acrescentou. A reunião foi comandada pelo presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), e contou com as presenças de várias lideranças do partido. Entre elas, a do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e a do prefeito da capital paulista, João Doria. Os quatro ministros da sigla – Bruno Araújo (Cidades), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), Aloysio Nunes (Relações Exteriores) e Luislinda Valois (Secretaria de Direitos Humanos) – também participam. Com a decisão de não desembarcar, os quatro permanecerão nos cargos. Na reunião, as lideranças tucanas se revezaram no microfone.Continuar lendo  (mais…)


Senado ignora decisão do Supremo e mantém Aécio na lista de senadores em exercício

Segunda feira 12 de Junho, por Juliana Ribeiro, Foto Divulgação

O nome do tucano ainda permanece no painel de votação e na lista dos senadores em exercício no site da Casa

O Senado Federal descumpre há 20 dias a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de afastar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) das funções parlamentares. O nome do tucano ainda aparece na lista de senadores em exercício no site da Casa e no painel de votação. De acordo com a Folha, o gabinete de Aécio também tem funcionado normalmente. Se comparecesse a uma sessão, ele estaria apto a votar. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), não se manifestou sobre a questão. A Mesa do Senado ainda não debateu o tema, embora alguns senadores tenham pedido reunião do colegiado a Eunício. Na próxima semana pode haver uma reunião do colegiado sobre o assunto. Na decisão de 17 de maio, o ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo, determinou que Aécio fosse suspenso das funções parlamentares e de qualquer outra função pública, impedindo-o também de encontrar réus ou investigados e de deixar o país. A assessoria do tucano disse que ele está afastado de suas funções legislativas, conforme decisão de Fachin. Não se sabe ainda se Aécio continuará recebendo sua remuneração de R$ 33.763 e os demais benefícios.


Jhully Portela (PMDB) convida a população de Irajuba, para Audiência Pública no Plenário da Câmara Municipal

Segunda feira, 12 de Junho,por Juliana Ribeiro, em Politica Foto -Reprodução Facebook- Matéria atualizada ás 00:02hs

Audiência  Pública, Será realizada nesta (Segunda feira  dia 12 de junho), onde vai debater Projeto de Lei nº 02 do legislativo que Cria premio por desempenho a profissionais da Saúde

A vereadora Jhully Fontana Portela da Silva, de 31 anos (PMDB), a enfermeira e agora política se tornou a segunda mulher eleita no município, para exercer o mandato  e ocupar um cargo político em defesa do povo em Irajuba,  ocupando a segunda colocação na lista dos vereadores eleitos a qual a mesma obteve  281 Votos nas eleições municipais ocorrida em 2016, em seu primeiro mandato a frente no Legislativo Municipal, A vereadora  que faz parte da bancada de oposição ao Atual Gestor Jeronimo Santos (PSD), vem se destacando juntamente com os demais representante  da oposição o qual os mesmos vem realizando seus  trabalhos a fim de fiscalizar a gestão publica e viabilizar ações em pro da população do município de Irajuba.

Jhully Portela, em contato com a redação do blogcafénobule, diz que é de fundamental importância o referido projeto de lei onde a mesma já conta com 04 votos da base aliada e espera contar com o apoio dos vereadores da bancada da situação a fim da aprovação do referido projeto de lei que tramita no legislativo Municipal, Sendo assim  ao mesmo tempo a edil, convida a população de Irajuba, e as autoridades locais, onde no uso de suas atribuições legais, e em concordância com o presidente da casa legislativa, e demais autoridades regionais para participarem da AUDIÊNCIA PÚBLICA  que será realizada no dia 12 de junho (segunda – feira) às 17h00 no Plenário da Câmara Municipal, localizado à Praça Santo Antônio, 136 – Centro, onde será discutido o Projeto de Lei nº 02 do legislativo,do  prêmio por desempenho, que dispõe sobre a criação no município de Irajuba – Ba.

Redação Bcbule