FLIGÊ é aberta e tem bom público na cidade histórica de Mucugê

Sexta 12 de Agosto, por Camila Matos /Foto:Csenna

flige-1

A 1ª Feira Literária de Mucugê (Fligê) estreou  na noite de desta quinta(11) com indicativo de virar  tradição da Chapada Diamantina. Já  na abertura, o deputado federal Waldenor Pereira, um dos apoiadores do evento, assegurou que vai buscar recursos de emenda parlamentar para a realização da próxima feira no município de Mucugê, assim como o secretário estadual de Cultura, Jorge Portugal, confirmou a disposição de manter o apoio para a próxima edição desta iniciativa do Instituto Incluso e Coletivo Lavra. Disse que vai incluir a segunda edição do evento no programa estadual Faz Cultura.
“Vamos engarrafar o aeroporto de Lençóis”, brincou Portugal sobre a sua animação com a ideia de repetir a Fligê, referindo-se ao sucesso iminente do evento que deve atrair público ainda maior para a cidade de Mucugê e suas redondezas. O diretor da Fainor- Faculdade Independente do Nordeste- Raimundo Viana, se entusiasmou com a feira e também anunciou apoio à próxima. “Faço questão de ser parceiro de um evento como esse. Vamos participar da segunda feira”, afirmou.
Ao abrir a feira literária,  a curadora, professora Ester Figueiredo,  agradeceu o apoio do governo do estado, prefeitura de Mucugê, instituições e comerciantes  locais colaboradores. Ela informou que o público presente já ultrapassou o esperado, entre 800 a 1mil pessoas. A Feira conta com 10 estandes de livros, mas tem a presença de 20 editoras, dentre as quais a Companhia das Letras, a participação de muitos autores independentes e do presidente da Câmara Brasileira de Livros e livreiro oficial do evento, Primo Maldonado.
A solenidade de abertura teve uma comissão de honra, formada pela curadora, o secretário Portugal, o deputado Waldenor, a prefeita Ana Medrado, o Ex Prefeito Sr Tacio Medrado de Mattos, as representantes das entidades promotoras,  Geovane Viana (Instituto Incluso), Lana Shiela (Coletivos Lavra) e o representante da Fainor.
Portugal abriu a programação com a conferência  intitulada “Histórias e Memórias: a lavra da palavra”.  Educador, poeta e compositor, o secretário Jorge Portugal é conhecido pela autoria de composições que integram a memória afetiva dos baianos e dos brasileiros, como “A massa”, em parceria com Raimundo Sodré, e “Alegria da Cidade”, parceria com Lazzo Matumbi.
Publico Presente no evento
A Fligê contou em seus estand com a presença ilustre do Ex: Prefeito de Mucugê Sr:Tácio Medrado de Mattos,  filho do  Cel:Horácio de Mattos, onde o mesmo foi convidado pela coordenação da Fligê e  do estande da Assembleia Legislativa do estado a fim que o mesmo  autografasse  e distribuísse   vários livros de seu saudoso pai o Cel Horacio de Mattos,
A Fligê acontece até domingo (14), com ampla programação de conferências, encontros, lançamentos, leituras guiadas, contação de histórias, estandes/editoras, homenagens e apresentações artísticas em diversos espaços da cidade, com entrada gratuita. Nesta primeira edição homenageia Afrânio Peixoto (1876/1947), escritor baiano nascido em Lençóis, que dedicou o seu fazer literário em narrar histórias da Chapada Diamantina.
Legislativo baiano estreia com estande
Estreando a participação em feira literária, a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) também marca presença com um estande de livros do seu acervo, instalado  na Praça Coronel Propércio (Calçadão), uma iniciativa proposta pelo deputado estadual Zé Raimundo. Dentre os mais de 30 títulos publicados pela Alba e colocados em exposição destacam-se  os  que tratam de histórias e personalidades da Chapada Diamantina: “O chefe Horácio de Matos”, de Américo Chagas( com a presença do autor), “Cascalho”, de Herberto Sales, a coletânea “Camillo de Jesus Lima: obra poética”, volumes I e II e  “Um Sindicalista na Política Baiana- A trajetória de Paulo Jackson Vilas Boas. Outros  títulos:  “Assis Valente”, de Jorge Pimentel, Rômulo Almeida, de Antônio Jorge Moura e “Poemas de Amor e Morte”, de Rui Espinheira.

Chapada: Recuperação da BA-142 entre Andaraí e Mucugê é esperada

Sexta 12 de agosto por Juliana Ribeiro Foto//ReproduçãoEstrada-entre-Andaraí-e-Mucugê-FOTO-Divulgação

Um pedido de recuperação da BA-142, entre as cidades de Andaraí e Mucugê, na Chapada Diamantina, foi o tema de uma reunião entre o secretário de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti e a deputada estadual Ivana Bastos (PSD), na última quarta-feira (10), conforme informações enviadas ao blogcafenobule

Segundo a deputada, no trecho da Serra do Capa Bode existem inúmeros buracos que colocam em risco a vida das pessoas que trafegam na rodovia. “Mucugê é um importante destino turístico para o estado da Bahia e essa obra com certeza garantirá a segurança da população local e dos visitantes”, defendeu. Já o secretário afirmou que todas as medidas serão tomadas para viabilizar essa reforma.


1ª Edição Fligê -Feira Literária de Mucugê acontece neste final de semana entre os dias 11 e 14 de agosto

Quarta, 10 de Agosto poe Juliana Ribeiro/ Foto:Csennacidade-de-mucuge-14-copy

A cidade de Mucugê, distante 264 km de Vitória da Conquista, recebe a primeira edição da Feira Literária de Mucugê (Fligê), que terá como homenageado Afrânio Peixoto (1876/1947). O escritor baiano nascido em Lençóis, dedicou o seu fazer literário em narrar as histórias da Chapada Diamantina.

O evento acontece entre os dias 11 e 14 de agosto. A iniciativa busca inserir a cidade de Mucugê, situada nas montanhas do Parque Nacional da Chapada Diamantina, no circuito de feiras e festas literárias realizadas na Bahia e no Brasil.

Durante os quatro dias de programação, o evento pretende possibilitar que o público participante compartilhe diversas atividades literárias e culturais, além de uma programação especial direcionada ao público infanto-juvenil.

13906852_881631695305325_5269644654856969182_n

A Fligê apresentará uma programação extensa que contará com conferências, encontros, lançamentos, leituras guiadas, contação de histórias, oficinas, estandes/editoras, homenagens e apresentações artísticas, facilitadas por autores convidados dos mais variados horizontes literários e autores da nova geração que se dedicam à criação literária em diferentes linguagens.

Tendo como objetivo a formação, produção e difusão do livro e da literatura brasileira, baiana e regional e visando a informação, o despertar e o prazer do livro e da leitura, a Feira Literária será desenvolvida em diversos espaços da cidade e com acesso gratuito para toda comunidade interessada.

A Fligê é uma realização do Coletivo Lavra, em parceria com a Prefeitura Municipal de Mucugê e o Instituto Incluso e conta ainda com o apoio financeiro da Secretaria da Fazenda e da Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia. Veja programação aqui (mais…)


Chapada: Estudantes de Itaberaba realizam debate sobre lixo eletrônico

Quarta, 10 de Agosto poe Juliana Ribeiro/ Foto: Divulgação Atividade-em-Itaberaba-FOTO-Divulgação6-O lixo eletrônico cresce três vezes mais que o lixo convencional, de acordo com dados da ONU

Estudantes do Centro Territorial de Educação Profissional (Cetep) de Itaberaba, município da Chapada Diamantina, realizou na semana passada o 1º Fórum de Debates sobre a temática “Lixo Eletrônico e Logística Reversa: Riscos e Possibilidades”.

A intenção foi debater o descarte do lixo eletrônico e o impacto que este mau hábito pode causar para o meio ambiente. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o lixo eletrônico cresce três vezes mais que o lixo convencional, a maior parte desses resíduos não têm ainda destinação adequada, o que torna um risco para o meio ambiente e à saúde.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Atividade-em-Itaberaba-FOTO-Divulgação7-

O evento aconteceu no auditório do Cetep e debateu tópicos como o uso e descarte do lixo eletrônico, consumo consciente, programas socioambientais, economia colaborativa e o papel do cidadão neste processo. Entende-se como lixo eletrônico, produtos eletrônicos velhos e quebrados, como celulares, TV’s, baterias, pilhas, lâmpadas fluorescentes, fitas cassetes, computadores, tablets, impressoras, dentre outros.Fonte via JChapada


Morro do Chapéu: populares invadem delegacia, agridem e ateiam fogo em homicida

Sexta, 29 de Julho  por Juliana Ribeiro // Foto: Fotos: FOTO: Montagem do JC |
Morro-do-Chapéu-reprodução-copy                               José Nilton Dias Damião, conhecido como “Filó”, foi morto por populares

A morte do adolescente de iniciais, F.G, de 15 anos, filho de um empresário conhecido em Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina, na última quinta-feira (28), gerou uma revolta nos moradores da cidade que culminou no linchamento de José Nilton Dias Damião, conhecido como “Filó”, de 24 anos. Ele era suspeito pelo latrocínio, roubo seguido de morte, ao garoto que reagiu ao assalto de um celular.

Populares invadiram a delegacia, espancaram o suspeito até a morte e depois atearam fogo em seu corpo. Um adolescente, também suspeito do crime, foi detido, mas conseguiu escapar da fúria popular ao se esconder na delegacia, segundo a delegada responsável Lúcia Jansen. “O menor já foi retirado do local”, contou a delegada ao Jornal da Chapada. Segundo Jansen, F.G. foi atingido por arma de fogo no olho e não resistiu ao ferimento.

001

“Tentamos comover as pessoas, pedindo para acreditarem na Justiça, mas não teve jeito. Eram muitas pessoas. Fiquei na frente da delegacia, mas não consegui impedir a ação”, disse a delegada. Filó foi reconhecido por testemunhas por esse crime e, conforme a polícia, ele já era procurado há algum tempo por ações criminosas na cidade.

As informações passadas pela titular da delegacia de Morro do Chapéu dão conta que será instaurado um procedimento referente ao linchamento na Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP). O Jornal da Chapada entrou em contato com a Assessoria de Comunicação do órgão e da Polícia Civil, mas ainda não teve acesso às informações desse inquérito.Com Informações viaJChapada


Feira Literária de Mucugê terá Capinam, Jean Wyllys e lançamento de livro sobre bullying

Quarta, 20 de Julho, por Camila Matos // Foto: Montagem do JC
fligêO jornalista Jean Wyllys, a psicóloga Tahiana Andrade e o poeta Carlos Capinam estão na programação

O poeta e músico José Carlos Capinam e o escritor, deputado federal e jornalista Jean Wyllys (Psol), são duas boas atrações da Feira Literária de Mucugê (Fligê), na Chapada Diamantina, que acontece entre os dias 11 e 14 de agosto. Capinam é considerado um dos grandes letristas de sua geração, tendo participado ativamente do movimento tropicalista no fim da década de 60, mas foi parceiro de músicos como João Bosco, no clássico Papel Marchê, por exemplo, dentre tantos outros, como Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Edu Lobo, Jards Macalé, Fagner e Geraldo Azevedo.

foto678Divulgação |Ele fará parte do Diálogo Autoral, que terá como tema “A Poesia na MPB”, juntamente com o também letrista, poeta e escritor Fernando Oliveira, no dia 14 de agosto, às 17h, no Centro Cultural de Mucugê (CCM). Já Jean Wyllys participará de um dos espaços mais especiais da Fligê que é o “Encontros com Autores”, com o tema “Leitura, política e resistência”. Cada encontro desse gira em torno da obra do autor e é seguido de comentários e bate-papo com os presentes e acontece no dia 12 de agosto, às 19h, também no CCM.

Autora da Chapada
A autora Tahiana Andrade S. Borges, que reside na Chapada Diamantina, é psicóloga, especialista em gestão de pessoas, escreve para blogs, sites e revistas eletrônicas sobre assuntos relacionados à Psicologia e Comportamento Humano e apresentará seu livro ‘Memórias do Bullying’, durante a Fligê. A obra fala sobre o fenômeno do bullying e violência escolar, que tem sido assunto de constante preocupação e discussão entre professores, pedagogos, psicólogos, pais e estudantes.

Em ‘Memórias do Bullying’ é possível ter uma noção sobre o perfil das crianças envolvidas, as consequências na infância e vida adulta. Aborda estratégias de prevenção acompanhada de uma história de sofrimento que foi transformada em superação, narrada com sensibilidade em trechos autobiográficos. ‘Memórias do Bullying’ é o livro da psicóloga Tahiana Borges.Fonte e informações via parceria ddo JChapada 


Ex-prefeito do município de Tapiramutá é condenado pela Justiça

Quarta feira 13 de julho, por Camila Matos // Foto:Reprodução
tapiramutá-toinho-copyAntônio Carlos Fonseca Gomes foi condenado pela juíza federal da 1ª Vara da Subseção de Feira de Santana

A Justiça Federal condenou o ex-prefeito de Tapiramutá, na Chapada Diamantina, Antônio Carlos Fonseca Gomes, por atos de improbidade administrativa. Além dele, dois outros ex-gestores, de Itapitanga e Itiruçu, foram condenados. Gomes foi condenado pela juíza federal da 1ª Vara da Subseção de Feira de Santana, Karin Almeida Weh de Medeiros, ao ressarcimento integral do dano em R$ 185.411,51, a ser atualizado, uma multa civil correspondente cinco vezes a remuneração que recebia como prefeito na época dos fatos, suspensão dos direitos políticos e a proibição de contratar com o Poder Público por três anos.

A Justiça apontou ilegalidade do ato do ex-prefeito que beneficiou agricultores no “Programa de Aquisição de Alimentos compra direta local da Agricultura familiar” sem provar que estavam enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), uma vez que não apresentou Declarações de Aptidão (DAPs) ao Pronaf, ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Segundo a decisão, as DAPs não constituem uma exigência meramente formal, uma vez que servem de base para o ministério realizar eventuais auditorias. As verbas federais destinam-se a Programas articulados entre si, sendo natural que o ministério exija dos gestores municipais um mínimo de prova de que as pessoas beneficiadas passaram por algum crivo de habilitação. Não seria legítimo um convênio que deixasse livre ao prefeito a escolha de qualquer agricultor a seu arbítrio para beneficiar-se de dinheiro público.

Outros municípios!Veja matéria na Integra  (mais…)


Chapada: Festival de música em Igatu é esperado por visitantes este ano

Sábado 11 de junho por Juliana Ribeiro//FOTO: Reprodução/PMA O-palco-do-Festival-de-Igatu-é-montado-na-Praça-José-Gomes-FOTO-PMAO palco do Festival de Igatu é montado na Praça José Gomes

Estar em Igatu, conhecida também como a Machu Picchu baiana, que fica localizada no município de Andaraí, na Chapada Diamantina, é descobrir um pouco da história da Bahia no auge e declínio dos diamantes. Neste período, Xique-Xique de Igatu, antigo nome da vila que foi uma das capitais do garimpo, era habitado por mais de nove mil pessoas e tudo na cidade foi feito de pedras. Hoje, apesar de ser um grande atrativo turístico por conta de suas belezas naturais, Igatu tem mais um motivo para que visitantes de todo o Brasil vão até lá. O Festival de Igatu. Evento que reúne grande artistas de renome nacional no vilarejo.

O Festival de Igatu combina paisagens espetaculares do lugar, um vilarejo localizado no município de Andaraí, na Chapada Diamantina, com música de alta qualidade. No decorrer dos anos essa fórmula se repete com sucesso, sempre no segundo semestre, entre o fim de agosto e começo de setembro e é bom ir já se programando. Só para se ter uma ideia, artistas como Xangai, Mariene de Castro, Targino Gondim, Guilherme Arantes, 14 Bis, Flávio Venturini, Orquestra Sinfônica da Bahia, Jorge Vercilo, Vander Lee, entre outros já estiveram por lá animando os moradores e visitantes.

E mal acaba uma edição e o público já faz pedidos nas redes sociais para a contratação de seus artistas prediletos. Em breve deverá ser divulgada a programação com a lista de artistas e nós, do Jornal da Chapada, estaremos de olho para informar você. Hoje, pouco mais de 300 moradores mantêm o prazer de viver tranquilamente neste verdadeiro patrimônio da natureza, transitando, ao mesmo tempo, entre o passado, o presente e o futuro. Não é preciso motivos para passear por lá, mas o festival melhora tudo.Fonte Jornal da chapada


Colisão frontal entre dois carros deixa feridos na BR-242

Segunda feira 06 de Junho por Camila Matos//Foto: Divulgação

001

Um acidente envolvendo dois carros de passeio travou o trânsito e deixou feridos na manhã desta segunda-feira (6), entre o entroncamento do município de Boa Vista do Tupim e povoado do Zuca, no Centro-Norte Baiano. De acordo com testemunhas, os dois veículos colidiram de frente e as vítimas ficaram presas nas ferragens. Ainda não há informações sobre a identidade e estado de saúde das vítimas.

Chapada Diamantina volta a registrar as menores temperaturas do estado durante o feriado

Quinta 26 de Maio, por Camila Matos,//Foto: Reprodução/Facebook/Cachoeira do Buracão
FOTO-Reprodução-Facebook-Cachoeira-do-buracão-chapada-Diamantina-ibicoara-BahiaAs áreas serranas da Chapada Diamantina e do sudoeste baiano devem ter mínimas de até 15 graus 

As condições do tempo na Bahia previstas para o fim de semana prolongado, que inclui o feriado de Corpus Christi, continuam sendo influenciadas por sistemas meteorológicos de diferentes características e em áreas distintas. Na faixa leste, os ventos úmidos vindos do Oceano Atlântico predominam e devem manter o céu encoberto e chuvoso. Nas demais áreas do estado, a massa de ar quente e seco prevalece, mantendo o céu ensolarado e com temperaturas elevadas.

Para as regiões do Recôncavo, nordeste e sul, que ficam na faixa leste do estado, a umidade vinda do Atlântico deve manter o céu nublado e com chuvas. No entanto, os volumes mais expressivos dessas chuvas estão previstos para o Recôncavo e nordeste. Essa condição de tempo chuvoso continua mantendo as temperaturas mais amenas, com valores variando entre mínimas de 17°C e máximas de 33°C.

Para as regiões da Chapada Diamantina e sudoeste, onde a massa de ar quente e seco atua com menos intensidade, são esperadas as menores temperaturas do estado, com mínimas podendo chegar aos 15°C. No entanto, as chances de ocorrer chuvas serão menores. Por outro lado, o tempo frio e úmido aumenta a possibilidade de formação de neblina, principalmente, durante a noite e nas primeiras horas da manhã, o que requer maior atenção nesses horários.Veja matéria na íntegra (mais…)