Agressor de Bolsonaro será transferido para presídio federal de Campo Grande

sexta feira 07 de Setembro,Por Camila Bomfim, TV Globo, Brasília  

Adélio Bispo foi preso em Juiz de Fora (MG) logo após ataque e, segundo a PM, disse ser o responsável pela facada. Bolsonaro foi transferido nesta sexta para São Paulo.

O homem responsável por dar uma facada no candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, será transferido para o presídio federal de Campo Grande (MS). A transferência foi determinada pela Justiça Federal durante a audiência de custódia, na tarde desta sexta-feira (7).

Adélio Bispo foi preso pela Polícia Militar de Minas Gerais logo após Bolsonaro ser atacado em Juiz de Fora e, segundo a PM, Bispo confessou ser o autor da facada no candidato.

A Polícia Federal abriu um inquérito para investigar o caso e já indiciou Adélio Bispo por “atentado pessoal por inconformismo político“.entos antes do ataque a Jair Bolsonaro

Fotos mostram agressor momentos antes do ataque a Jair Bolsonaro
Ataque a Bolsonaro

Bolsonaro levou uma facada enquanto participava de uma caminhada no centro de Juiz de Fora. Logo após o ataque, ele foi levado à Santa Casa de Misericórdia da cidade.

O hospital informou que ele deu entrada na emergência com uma “lesão por material perfurocortante na região do abdômen”. O candidato sofreu uma grave perfuração no intestino grosso.

Nesta sexta, Bolsonaro foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. No Twitter, o candidato disse que está bem e se recuperando.

Investigação

Além de Adélio Bispo, outras duas pessoas são investigadas pela Polícia Federal nesse caso, de acordo com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que não deu detalhes sobre as apurações.

O ministro evitou falar sobre qual seria a motivação do ataque. Jungmann afirmou que a PF está trabalhando com o setor de inteligência para reconstituição dos passos de Adélio Bispo e toda a rede de relacionamentos dele.

‘A mando de Deus’

Em depoimento, Adélio Bispo afirmou que deu a facada em Jair Bolsonaro “a mando de Deus”, segundo boletim de ocorrência. Adélio também disse que agiu sozinho, sem ajuda de partido político ou empresa. Policiais federais consideraram o depoimento do suspeito como declarações de uma pessoa conturbada.

Fonte e informçoes via G1

Filho de Bolsonaro diz que ataque ‘foi premeditado’

Sexta feira, 07 de Setembro por .Camila MatosFilho de Jair Bolsonaro, o deputado estadual pelo Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro

Filho de Jair Bolsonaro, o deputado estadual pelo Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro afirmou que o ataque à faca contra seu pai “foi premeditado”. Segundo o Broadcast, Flávio contestou que Adélio Bispo de Oliveira tenha problemas psiquiátricos. “Não venham com essa historinha de que ele era maluco, não sabia o que estava fazendo, era um cara desvairado não. Foi premeditado. Ninguém sai de casa com uma faca para enfiar na barriga dos outros por acaso”, disse.


Filho de Temer faz gesto imitando arma durante desfile de 7 de setembro

Sexta feira, 07 de Setembro por .Camila Matos

Gesto feito pelo filho do atual presidente lembra repercute como influência de ações constantes do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL)

O filho do presidente Michel Temer (MDB), Michelzinho, de apenas 9 anos, surpreendeu com um gesto nesta sexta-feira (7) durante o desfile de 7 de setembro, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Acompanhado do pai e da mãe, Marcela Temer, ele imitou uma arma com as mãos, gesto que se assemelha ao que o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) vem ensinando a crianças por onde passa em campanha eleitoral.

Bolsonaro foi criticado por ensinar crianças a imitar armas com as mãos.

Os gestos de Michelzinho foram feitos durante a passagem do desfile, que incluía militares empunhando armas.

A parada foi aberta por volta de 9h, com o Hino Nacional cantado pelo coral dos alunos do Colégio Militar de Brasília e apresentação da Esquadrilha da Fumaça. Com informações do Estadão.


‘Sangue derramado vai unir Brasil e vamos vencer a eleição’, diz vice de Bolsonaro

Sexta feira, 07 de Setembro por Julliana Ribeiro via G1

General da reserva, Mourão deve substituir Bolsonaro na campanha

General da reserva Hamilton Mourão agora está convencido deque Bolsonari vencerá a eleição. (Foto Marlene Bergamo/Folhaimagem)

O vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), general Hamilton Mourão (PRTB), avalia que atentado sofrido pelo presidenciável deve ajudar na sua eleição.
“Nós julgamos que o sangue derramado pelo Bolsonaro vai unir todo o Brasil em torno do nosso projeto e nós vamos vencer a eleição”, afirmou nesta sexta-feira (7) ao desembarcar no Rio de Janeiro.
O general da reserva do Exército deve assumir a agenda de Bolsonaro, que permanecerá hospitalizado pelo menos pelos próximos dez dias após ter sido alvo de uma facada durante ato de campanha.
Ele pediu calma e tranquilidade neste momento e disse que a prioridade é garantir a saúde do candidato.
Questionado sobre se o tom adotado pela campanha será de “guerra”, como disse o presidente do PSL na quinta (6) à Folha de S.Paulo, Mourão minimizou.
“Eu acho que as primeiras declarações são sempre feitas na base da emoção e aí as pessoas acabam dizendo coisas que não deveriam dizer. Existe um velho ditado: as palavras quando elas saem da boca elas não voltam mais. Essa é uma realidade.”
O general disse confiar nas investigações da Polícia Federal, completando que a instituição mostrou sua capacidade na Lava Jato.
“Eu acredito que tenha mais gente envolvida, não é uma coisa isolada. Um grupo ai, não sei se teve conotação política ou não. Pode ser, pode ser que não”, disse.
Mourão permanecerá no Rio nesta sexta, mas viaja no sábado (8) a São Paulo para conversar com Bolsonaro. Ele disse ainda não ter falado com o candidato por se tratar de um momento da família.
Sobre a agenda de campanha, disse que a definição deve ocorrer depois de conversas na capital paulista e em Brasília, no início da próxima semana.


Bolsonaro está consciente e em boas condições, diz boletim do Einstein

Sexta feira , 07 de Setembro por Julliana Ribeiro

Segundo boletim médico, Bolsonaro está na UTI ‘consciente e em boas condições clínicas’ 

Foto: Reprodução / Twitter

Após ter sofrido um atentado, Jair Bolsonaro (PSL) Já no  hospital Albert Einstein acaba de divulgar um novo boletim sobre o estado de saúde de Jair Bolsonaro.

Assinado pelo diretor-superintendente do Einstein, Miguel Cendoroglo, o boletim diz que o presidenciável está “consciente e em boas condições clínicas”, e o tratamento iniciado em Juiz de Fora está sendo continuado.


Jair Bolsonaro chega ao Hospital Albert Einstein depois de viajar de avião e helicóptero

Sexta feira,07 de Setembro por Juliana Ribeiro via G1
Jair é levado até ambulância para ser transferido. Foto: TV Globo

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) chegou há pouco no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, depois de deixar por volta das 8h20 Juiz de Fora, onde foi submetido a uma cirurgia na Santa Casa de Misericórdia. Ele desceu no Aeroporto de Congonhas, de onde seguiu de helicóptero até o Palácio dos Bandeirantes e de lá, de ambulância até o Hospital. Em frente ao local, no bairro do Morumbi, apoiadores de Jair Bolsonaro começam a chegar aos poucos. As amigas aposentadas Ana Maria Bolsinhas, 74, e Ana Serra, 67, chegaram às 10h15, vestidas de verde e amarelo para prestar solidariedade ao candidato do PSL. “Que venha muita gente aqui fazer vigília como fazem para o bandido lá”, disse Bolsinhas, referindo-se ao ex-presidente Lula (PT), preso em Curitiba. Segundo ela, quem planta o ódio são os outros.”Aí porque ele faz sinalzinho [de arma] com a mão…”. Serra, com uma camiseta com o rosto do candidato, disse que agora Bolsonaro será eleito’no primeiro turno”. Com informações da Folha.


Comandante do Exército repudia ataque contra Bolsonaro

Sexta feira, 07 de Setembro por Julliana Ribeiro

Villas Bôas também pediu serenidade e o “combate aos radicalismos”

Foto: aBr
Foto: aBr

O comandante do Exército, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, repudiou o ataque sofrido pelo candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro, ocorrido na tarde dessa quinta-feira (6), quando fazia campanha na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Em nota divulgada pelo Comando do Exército, o general Villas Bôas diz que “repudia veementemente o ato de violência extrema perpetrado contra a vida do deputado Bolsonaro, candidato à Presidência da República”.

O comandante do Exército também defende a “manutenção da serenidade, o combate aos radicalismos e a confiança nos órgãos de segurança pública, para que todos juntos ultrapassemos esse desafio à nossa democracia e à paz social”.

Villas Bôas conclui a nota prestando solidariedade à família de Jair Bolsonaro “neste neste momento de apreensão” e deseja ao candidato do PSL “pronta recuperação”.

Jair Bolsonaro está internado na UTI do Hospital da Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora, onde foi submetido a uma intervenção cirúrgica realizada por uma equipe médica da unidade hospitalar.

Bolsonaro foi atingido por uma facada na região do intestino, desferida por um homem, quando era carregado por apoiadores durante campanha na cidade de Juiz de Fora. O suspeito de ter esfaqueado o candidato, Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi detido por populares e seguranças.

Ele foi levado por policiais federais para a Delegacia da Polícia Federal da cidade mineira onde prestou depoimento. A equipe médica da Santa Casa de Misericórdia deve fazer uma nova avaliação do estado de saúde do candidato do PSL no início desta manhã.


Cirurgia em Jair Bolsonaro é concluída e candidato segue para UTI

Quinta, 06 de Setembro ,por Juliana Ribeiro

A cirurgia no candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) foi concluída e ele seguiu para uma UTI do hospital onde está internado na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Segundo informações da GloboNews, a hemorragia provocada pela facada foi controlada.

Matérias Relacionadas

Eleições 2018:Bolsonaro é esfaqueado durante ato de campanha em Minas Gerais; veja vídeo
Polícia Militar confirma identidade do suspeito de atentado a Jair Bolsonaro; ele confessou o crime, segundo a PM

Eleições 2018;Analistas avaliam desdobramento político do ataque sofrido por Bolsonaro

Quinta, 06 de Setembro ,por: Eliezer Santos

Ataque ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), esfaqueado durante um comício em Juiz de Fora, Minas Gerais, nesta quinta-feira (6), agitou o ambiente de campanha política a um mês das eleições.

Analistas políticos ouvidos pelo BNews apontam que o tabuleiro eleitoral pode ganha novas configurações.

“Depende de qual narrativa prevalecer”, explica o professor de comunicação e política da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Wilson Gomes.

O cientista político Joviniano Neto considera que a repercussão do episódio deve variar a partir da “motivação real do autor e a motivação que será atribuída a ele”, especialmente nas redes sociais, onde Bolsonaro tem diversos apoiadores.

“O fato de ser atacado fortalece diante dos que já o apoiam e pode atrair a atenção de indecisos, considerando ele como vítima”, segue.

“A curto prazo, isso fortalece a adesão dos ‘bolsonaristas’ e enfraquece o trabalho de Geraldo Alckmin de desconstrução da imagem dele. É difícil criticar alguém que foi ferido e está como vítima. Isso também pode ser usada contra o PT”, afirmou, ao lembrar da recente declaração de Bolsonaro de “fuzilar a petralhada” durante um evento no último dia 1º, no Acre.  “Isso pode aumentar o anti-petismo”, acrescentou Joviniano.


Polícia Militar confirma identidade do suspeito de atentado a Jair Bolsonaro; ele confessou o crime, segundo a PM

Quinta, 06 de Setembro ,Por Flávia Cristini, G1 MG  

Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi preso em flagrante logo após o atentado; Bolsonaro foi atendido da Santa Casa de Misericórdia de Juiz Fora, onde fazia ato de campanha política

Adélio Bispo de Oliveira, supeito de esfaquear o candidado a presidente Bolsonaro (Foto: Divulgação/Assessoria de Comunicação Organizacional do 2° BPM)

A Polícia Militar identificou o suspeito de esfaquear o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL). Adélio Bispo de Oliveira, 40 anos, confessou o crime, segundo a PM. O homem é natural de Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, e foi preso em flagrante logo após o incidente.

Bolsonaro participava de um ato de campanha em Juiz de Fora, na Zona da Mata de Minas Gerais, e estava nos ombros de apoiadores quando foi atingido.

Atendimento médico
Candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) é atendido em hospital de Juiz de Fora após ser esfaqueado (Foto: Arquivo pessoal/G1)
Candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) é atendido em hospital de Juiz de Fora após ser esfaqueado (Foto: Arquivo pessoal/G1)

Bolsonaro foi levado para a Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora. O hospital não informou o estado de saúde do candidato. De acordo com um dos filhos de Bolsonaro, o deputado estadual Flavio Bolsonaro, o ferimento foi superficial e o candidato passa bem. Em entrevista à GloboNews, ele afirmou que o pai levou seis pontos.

 A TV Globo apurou, no entanto, que Bolsonaro foi levado para a sala de cirurgia e será operado. Há suspeita de lesão no fígado e na alça intestinal.

De acordo com a TV Integração, o suspeito foi levado para a delegacia da Polícia Federal na cidade.