Serviço ‘e-Sedex’ deixará de ser prestado por Correios na próxima segunda

Domingo 18 de Junho por Camila Matos, //Foto: Divulgação / Correios

O serviço de e-Sedex, prestado pelos Correios, vai acabar na próxima segunda-feira (19). A decisão foi anunciada na última quarta-feira (15). De acordo com os Correios o serviço, que é exclusivo para comércio eletrônico e opera com prazos de entrega expresso, seria cancelado no inicio do ano. A decisão, no entanto, foi embargada por uma liminar obtida pela Associação Brasileira de Franquias Postais (Abrapost), que foi revogada nesta semana. Como o conselho da empresa já havia aprovado a decisão no fim de 2016, o serviço deixará de ser oferecido na segunda e os contratantes terão que utilizar Sedex tradicional ou PAC. Os acordos atuais não serão renovados e não valem mais. De acordo com informações da Exame, a decisão deve afetar os consumidores, tendo em vista que 30% do faturamento das lojas franqueadas advém do e-Sedex. O custo extra deverá ser repassado diretamente aos consumidores.


Imbassahy é o ministro que mais se aproximou de Temer na crise

Por  Julliana Ribeiro Fotos: Agência Brasil

Nos últimos dias, foi revelado, por meio dos próprios tucanos, que o PSDB se prepara para abandonar o presidente, tragado pelas explosivas acusações do empresário Joesley Barista, dono da JBS, de que o peemedebista atuou para obstruir a Lava Jato incentivando a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
O partido, considerado hoje a mais importante base de apoio do governo do peemedebista, avalia que é “insustentável” caminhar ao lado de Temer caso as declarações sejam confirmadas. O PSDB mantém hoje quatro ministérios no governo Temer: Secretaria de Governo (Antônio Imbassahy), Relações Exteriores (Aloysio Nunes), Cidades (Bruno Araújo) e Direitos Humanos (Luislinda Valois).
Responsável pela articulação direta entre o Palácio e o Congresso, Imbassahy representa ainda uma certa resistência dentro do tucanato. Ele defende que, em nome da estabilidade, o partido tenha mais cautela. Imbassahy tem passado esta quinta-feira ao lado de Temer em busca de uma solução para a crise. Os demais auxiliares do presidente da República dentro do PSDB, porém, não devem seguir a orientação de Imbassahy e preparam uma saída em conjunto.

GRITO POR DIRETAS-JÁ REUNIU 40 MIL EM BELO HORIZONTE

Sábado, 17 de Junho, por Camila Matos // Foto: Bruno Bou / CUCA da UNE
Gritos de guerra e palavras de ordem contra governo de Michel Temer deram tom à manifestação

Cerca de 40 mil pessoas lotaram o Centro de Belo Horizonte para pedir Diretas Já na noite desta sexta-feira (16). Em ato organizado pela União Nacional dos Estudantes, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo, universitários de todo o Brasil, artistas e trabalhadores puxaram palavras de ordem contra Michel Temer e a favor da Educação.

“Estamos aqui pela restauração da ordem democrática no Brasil, por um movimento estudantil igualitário e contra a agenda de retrocessos imposta por essa corja ilegítima que assaltou o poder”, afirmou o estudante Dhonata Melo, da Universidade Federal do Sul da Bahia, que veio participar do 55º Congresso da UNE (Conune).

Com bandeiras de todas as cores, de diversos movimentos, forças do movimento estudantil e sindicais, o ato rodou o Centro da capital mineira acompanhado de baterias carnavalescas em ritmo de axé e maracatu. Agitada por pessoas de várias colorações ideológicas, chamou atenção uma bandeira da UNE bordada durante uma oficina do Conune ministrada pelo coletivo progressista Linhas do Horizonte.

Estudantes lotaram a Praça 7, no Centro de BH

Vindo de ônibus da Universidade Federal Rural de Pernambuco, o estudante de letras Uiraquitan Júnio fez questão de participar do ato. “É fundamental que os estudantes se posicionem contra os usurpadores do poder que, por vias tenebrosas, tentam modificar a nossa Constituição Federal e prejudicar a classe trabalhadora”, avaliou.

A presidenta do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais, Alessandra Melo, participou da manifestação e comemorou a presença dos estudantes: “As Diretas ainda não ganharam aquele corpo para contagiar irreversivelmente o país, então todo ato, tudo que acontece é importante para o povo exija eleições e exponha sua vontade de votar.”

De São Paulo, o estudante de Bioquímica Peppi Araújo, destacou o protagonismo da juventude na história do Brasil: “as ruas tem que pressionar e atingir mais duramente o Congresso Nacional e o Judiciário, eles precisam se tocar que o país quer Diretas e que o governo Temer acabou.”


Eike pode fazer delação nos moldes da Odebrecht, diz coluna

Sábado, 17 de Junho, por Camila Matos //Foto: Reprodução/Fatos Desconhecidos

De acordo com a Radar On-Line, da revista Veja, ex-executivos do grupo X têm conversado com advogado sobre uma possível colaboração coletiva

O grupo X, leia-se Eike Batista, pode fechar acordo de delação coletiva com a Procuradoria-Geral da República (PGR). A colaboração seguiria o formato escolhido por empresas como as empreiteiras Odebrecht e OAS. De acordo com a coluna Radar On-Line, do site da revista Veja, o advogado Fernando Martins tem conversado com ex-executivos do grupo X e as tratativas estão avançadas. Preso em Janeiro deste ano , Eike ficou por aproximadamente três meses recolhido ao Complexo Penitenciário de Bangu. Atualmente, cumpre prisão domiciliar  em sua mansão no Jardim Botânico, no Rio.


Temer decide processar Joesley Batista após acusação em entrevista

Sábado, 17 de Junho, por Camila Matos Foto: (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Temer divulgará, neste sábado (17), uma longa nota para oficializar a ação civil e penal contra o empresário

O presidente Michel Temer (PMDB) vai processar Joesley Batista, sócio do grupo J&F, após o empresário afirmar, em entrevista à revista “Época”  diz que Temer lidera a maior organização criminosa do pais Segundo a Folha de S. Paulo, Temer divulgará, neste sábado (17), uma longa nota para oficializar a ação civil e penal contra o empresário.

Ainda de acordo com a publicação, na nota, o presidente acusará Joesley de proteger o PT e criticará a impunidade, em citação indireta, em relação à Procuradoria-Geral da República (PGR) e Rodrigo Janot.


JOESLEY AFIRMA QUE O PT “INSTITUCIONALIZOU” A CORRUPÇÃO NO BRASIL

Sábado, 17 de Junho, por Camila Matos às 14:29 – Atualizado às 14:59 Foto Lula Marques/Agência PT

DONO DA JBS CONTA QUE TUDO COMEÇOU NA CHEGADA DE LULA AO PODER

O empresário Joesley Batista, dono do Grupo J&F, afirmou, em entrevista à revista Época, que o o PT “institucionalizou” a corrupção no Brasil durante os governos do ex-presidente Lula e como se tornou o maior comprador de políticos do país. Curiosamente, foi quando a J&F aumentou seu faturamento anual de R$ 4 bilhões para R$ 170 bilhões.

Na entrevista, ele explica como o PT criou núcleos de corrupção com chefe, operador e tesoureiro nos Estados, nas estatais, nos fundos de pensão das estatais e até em ministérios importantes. “São organizações criminosas. Existem para ganhar dinheiro cometendo crimes”, disse. “No começo eram dezenas. Depois viraram centenas”, explicou.

Época – Quando esse processo começou?
Joesley – Foi no governo do PT para frente. O Lula e o PT institucionalizaram a corrupção. Houve essa criação de núcleos, com divisão de tarefas entre os integrantes, em Estados, ministérios, fundos de pensão, bancos, BNDES. O resultado é que hoje o estado brasileiro está dominado por organizações criminosas. O modelo do PT foi reproduzido por outros partidos.

Sempre mencionando e fazendo referências à delação junto à Procuradoria-Geral da República (PGR), Joesley dispara contra o ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha que, segundo ele, cobrava dinheiro em nome do presidente da República, Michel Temer.

Durante a entrevista, Batista explica como o PSDB entrou em um leilão de compra de partidos para garantir tempo de TV nas eleições de 2014 e como se ofereceu para gravar Temer, a quem acusa ser líder da “maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil”.

Vale lembrar que o empresário ficou bilionário graças ao direcionamento irregular dos recursos do BNDES durante os governos Lula, gravou o áudio em que se baseiam as acusações contra Temer e que, estrahamente, foi o único delator a ser liberado pela PGR sem nenhuma punição, acusação ou reprimenda e vive nos Estados Unidos como se nada tivesse acontecido.


PALOCCI ACUSA MANTEGA DE GERENCIAR A PROPINA PAGA PELA ODEBRECHT AO PT

Sábado, 17 de Junho, por Camila Matos às 13:29 – Atualizado às 14:53

PALOCCI ACUSA MANTEGA DE GERENCIAR CONTA DO PT COM A ODEBRECHT

A defesa de Antonio Palocci, ex-ministro dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, relacionou o também ex-ministro Guido Mantega aos pagamentos ilegais da Odebrecht em conta na Suíça dos ex-marqueteiros do PT João Santana e Mônica Moura.

Essa atribuição a Mantega consta das alegações finais apresentadas à Justiça Federal em Curitiba, onde Palocci está preso desde setembro do ano passado na Lava Jato por ordem do juiz Sérgio Moro. A defesa também pede a absolvição.

A defesa de Palocci não cita nominalmente Mantega. Porém, os advogados de Palocci destacam trechos do depoimento de Marcelo Odebrecht que atribuem a Mantega a gestão dos pagamentos ao PT após julho de 2011. “Importante ressaltar que os valores constantes da planilha ‘Italiano’ não eram destinados ao acusado mas, sim, ao Partido, de forma que, após Antonio Palocci deixar o governo, o montante passou a ser gerido por terceira pessoa, como resta claro do interrogatório de Marcelo Odebrecht.”

Essa terceira pessoa seria Mantega, sugerem as alegações finais da defesa. O documento aponta uma frase do depoimento de Marcelo que cita o nome de Mantega. “Quem autorizava os pagamentos era no início Palocci e depois, a partir de meados de 2011, o Guido.”

No governo Dilma, Palocci deixou o Ministério da Casa Civil em junho de 2011. O Estado não conseguiu entrar em contato com a defesa de Mantega para comentar as alegações dos advogados de Palocci.


Joesley diz que Temer era ‘o chefe da orcrim’ e superior de Cunha; Geddel era mensageiro

Sábado, 17 de Junho, por Camila Matos via Revista Epoca /Foto: Reprodução/ Facebook

“O Temer é o chefe da Orcrim da Câmara. Temer, Eduardo, Geddel, Henrique, Padilha e Moreira. É o grupo deles. Quem não está preso está hoje no Planalto”, declara o milionário

Temer/Joesley (Foto: Blog do Magno

O empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS e delator na Operação Lava-Jato, declarou, em entrevista à revista Época, que o presidente Michel Temer (PMDB) lidera “a maior e mais perigosa organização criminosa” do Brasil.

“O Temer é o chefe da Orcrim da Câmara. Temer, Eduardo, Geddel, Henrique, Padilha e Moreira. É o grupo deles. Quem não está preso está hoje no Planalto”, disse o milionário. Joesley contou, ainda,  que se aproximou do peemedebista “em 2009, 2010”, por meio do ex-ministro Wagner Rossi, e desde então manteve uma “relação institucional” com o presidente.

“Acho que ele me via como um empresário que poderia financiar as campanhas dele — e fazer esquemas que renderiam propina. Toda vida tive total acesso a ele. Ele por vezes me ligava para conversar, me chamava, eu ia lá”, contou o delator à publicação.

O primeiro pedido de dinheiro, segundo Joesley, foi feito em 2010, e dizia respeito ao pagamento de um aluguel de escritório na Praça Pan-Americana, em São Paulo e à campanha de Gabriel Chalita à prefeitura paulista em 2012.

O empresário relatou que, depois disso, o presidente pediu R$ 300 mil para fazer campanha na internet sobre sua imagem antes do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

“O Temer não tem muita cerimônia para tratar desse assunto. Não é um cara cerimonioso com dinheiro”, declarou.


MPF investiga propina para Geddel em obra de transposição

Quinta feira, junho 15 por Juliana Ribeiro / Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

A Odebrecht teria pago propina a Geddel quando ele foi ministro da Integração Nacional do governo Lula (2007-2010)

O Ministério Público Federal (MPF), no Ceará, pediu à Justiça a abertura de inquérito para apurar denúncias de corrupção relacionadas à construção do Adutor Castanhão, sistema de transposição de água para Fortaleza. O pedido, feito nesta terça-feira (13), é baseado em delações de ex-executivos da Odebrecht, no âmbito da Lava Jato, que disseram que o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), recebeu propina no esquema.

Segundo os relatos, um cartel foi formado pelas empreiteiras Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão, em 2005, para fraudar a licitação e o contrato das obras com a Secretaria de Recursos Hídricos do Ceará.

A Odebrecht teria pago propina a Geddel, então ministro da Integração Nacional do governo Lula (2007-2010), para ex-governador do Ceará, Lúcio Alcântara (PR), e  para o ex-secretário de Recursos Hídricos do Ceará, Edinardo Ximenes Rodrigues.

As suspeitas contra Geddel serão apuradas pela Procuradoria da República, no Distrito Federal. Conforme matéria do jornal Estado de São Paulo, a defesa de Geddel só vai se manifestar quando o processo chegar à Procuradoria.


Senado aprova projeto que facilita acesso do produtor rural ao créditom

Quinta feira, junho 15 por Juliana Ribeiro via Agência Senado

A intenção é ampliar e tornar mais simples e ágil o acesso do produtor rural ao crédito.

O plenário do Senado aprovou , nesta quarta (14/06),Projeto de Lei (PL) 212/15, originário da Câmara, que autoriza o proprietário de imóvel rural a submeter a área total ou fração de seu imóvel ao regime de afetação e instituir a Célula Imobiliária Rural (CIR). O regime de afetação permite que o produtor rural separe uma parte do imóvel para dar como garantia ao pedir um empréstimo. Desta forma, ele não compromete toda a propriedade e separa uma fração que tenha valor equivalente ao da negociação. A CIR é um título de crédito criado pela proposta que pode ser negociado na bolsa de valores. A intenção é ampliar e tornar mais simples e ágil o acesso do produtor rural ao crédito. O texto volta à Câmara dos Deputados, já que foi alterado por emendas do relator Ronaldo Caiado (DEM-GO). O projeto também prevê que ficará sujeito à condenação, por crime de estelionato, o produtor rural que mentir sobre a área do imóvel rural ou suas características, instalações e acessórios, lançados como patrimônio de afetação. A mesma punição será aplicada a quem omitir, na CIR, que o bem está sujeito a outro ônus ou responsabilidade de qualquer espécie, inclusive de natureza fiscal e ambiental. *Com informações da Agência Senado