Lula mandou Gabrielli conseguir recursos ilícitos para campanha de Dilma, afirma Palocci

Segunda-feira 01 de Outubro por Camila Mattos

Em delação, ex-ministro diz que Lula solicitou, em 2010, do então presidente da Petrobras que encomendasse a construção de 40 sondas para “garantir o futuro político” do PT

Foto: Izis Moacyr / bahia.ba
Foto: Izis Moacyr / bahia.ba

Um dos coordenadores da campanha presidencial do petista Fernando Haddad, o ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli teria recebido do ex-presidente Lula, em 2010, a missão de conseguir recursos ilícitos para garantir a vitória de Dilma Rousseff, afirmou o ex-ministro Antonio Palocci, em seu acordo de delação premiada.

Lula foi “expresso ao solicitar do então presidente da Petrobras que encomendasse a construção de 40 sondas para garantir o futuro político do país e do Partido dos Trabalhadores com a eleição de Dilma Rousseff, produzindo-se os navios para exploração do pré-sal e recursos para a campanha que se aproximava”, diz trecho do documento.

Procurado pela imprensa Gabrielli não quis se manifestar sobre o assunto.

Palocci afirmou ainda que Lula lhe pediu para gerenciar o dinheiro que seria gerado e sua utilização na campanha de Dilma. Ainda conforme o ex-auxiliar de Lula, esta foi a primeira reunião na qual o então chefe do Palácio do Planalto tratou explicitamente da arrecadação de valores a partir de grandes contratos da Petrobras.

O juiz Sérgio Moro retirou o sigilo de parte do acordo de colaboração de Palocci. Em seu despacho, o magistrado disse que “examinando o seu conteúdo, não vislumbro riscos às investigações em outorgar-lhe publicidade


Bispo Edir Macedo confirma apoio à candidatura de Bolsonaro à presidência

 Domingo, 30 de Setembro por Camila Mattos

Dono da TV Record declarou a sua posição do bispo Edir Macedo foi revelada em resposta a indagação de um fiel da Universal, em rede social.

O bispo Edir Macedo afirmou no Facebook que está apoiando Jair Bolsonaro (PSL-RJ) na campanha presidencial.
Macedo, que é dono da TV Record e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, uma das mais influentes organizações religiosas do país, fez a afirmação ao responder a um de seus seguidores na rede social.
“Queremos saber bispo do seu posicionamento sobre a eleição pra presidente”, perguntou o discípulo Antonio Matos.
Macedo então respondeu: “Bolsonaro”.
O seguidor festejou: “Concordo plenamente. Esta eleição não é apenas uma luta política. Avançamos atacando o mal todo o dia e ele está revoltado contra todo o nosso povo. Seria interessante se o senhor e toda a cúpula da igreja viessem a público para exteriorizar esse pensamento. Eu sou a Universal e também estou com Bolsonaro só que muitos de nossos membros ainda estão indecisos e uma palavra sua ajudaria muita gente a se decidir.”
A campanha de Bolsonaro recebeu na semana passada a informação de que Macedo explicitaria o seu apoio, inclusive por meio de um vídeo. Até agora, no entanto, nada foi gravado.
A assessoria de imprensa da Igreja Universal diz que é falsa a informação, publicada pela imprensa, de que o religioso poderia gravar um vídeo de apoio ao presidenciável do PSL. O bispo está em viagem missionária.


Defesa de Lula pede a Moro que adie alegações finais da Lava Jato para depois das eleições

Domingo, 30 de Setembro por Juliana Ribeiro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao juiz federal Sérgio Moro para que suspenda o prazo das alegações finais do Ministério Público Federal em ação penal envolvendo o Instituto Lula e um apartamento em São Bernardo do Campo para depois das eleições. De acordo com o portal do Estadão, a defesa alega que, em outra ação, a que envolve o sítio em Atibaia, o juiz adiou o interrogatório final do ex-presidente Lula para depois do período com o fim de “evitar a exploração eleitoral”.

Ainda conforme o Estadão, os advogados avaliam ser necessária a “suspensão da marcha da presente ação penal até o término das eleições do corrente ano, para que se arredem explorações indevidas na esfera partidária e o feito não se convole em instrumento de ação política sob o pálido da sobranceira instituição do Poder Judiciário”.

Nesta ação penal, o petista é réu acusado de supostas propinas de R$ 12,5 milhões envolvendo a compra de terreno em São Paulo, onde, segundo a acusação, seria sediado o Instituto Lula (R$ 12 milhões), e a aquisição de apartamento vizinho à residência do petista em São Bernardo do Campo, no edifício Hill House. A força-tarefa da Lava Jato sustenta que os imóveis foram comprados pela Odebrecht por meio de supostos laranjas, como o engenheiro Glaucos da Costamarques, primo do amigo de Lula, José Carlos Bumlai, e a construtora DAG. Lula, no entanto, nega.


Bolsonaro deixa hospital após 24 dias internado depois de atentado

Sábado, 29 de Setembro por Eliane Neves/Estadão Conteúdo

Candidato foi ferido por uma facada durante um evento de campanha em 6 de setembro em Juiz de Fora (MG)

Bolsonaro ficou 24 dias internado, 2 deles em Juiz de Fora (MG) e 22 em São Paulo

O candidato à presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, deixou o hospital Albert Einstein às 14h00 deste sábado (29), após 24 dias internado depois de sofrer um atentado a faca em evento de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais no dia 6 de setembro, quando ele foi levado as pressas para um hospital da cidade e posteriormente transferido para São Paulo.

Segundo apurou a RecordTV, Bolsonaro deve ir diretamente para o aeroporto de Congonhas, já que foram reservados dois assentos em uma aeronave de um voo doméstico com destino ao aeroporto de Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

Em nota, o Hospital Albert Einstein informou que Bolsonaro recebeu alta médica as 10h da manhã e só deixou o local no ínicio desta tarde.

Grupo de simpatizantes aguarda saída de Bolsonaro do hospital
Grupo de simpatizantes aguardava a saída de Bolsonaro do hospital

Antes da alta, o capitão da reserva que lidera as pesquisas eleitorais usou as redes sociais e, pelo Twitter, postou mensagem com críticas ao PT.


Quando ministro do Trabalho, petista Jaques Wagner defendeu fim do 13º

Sábado 29 de Setembro por Juliana Ribeiro
 

O PT disse em nota ser “‘inacreditável que alguém se candidate a governar o país propondo massacrar ainda mais os trabalhadores” e que “o 13º é uma conquista histórica”.

Os petistas esqueceram que Jaques Wagner, quando ministro do Trabalho de Lula, sugeriu acabar com essa “conquista histórica” ao “flexibilizar direitos trabalhistas de micro e pequenas empresas”.

Segundo Wagner, seria uma forma de reduzir a informalidade (leia abaixo).

*Via O Antagonista / Foto: EBC


O Ministro Luiz Fux, do STF, concede liminar contra entrevista de Lula à Folha

Sábado,29 de Setembro por Juliana Ribeiro em política

O Ministro Luiz Fux, do STF, acaba de deferir liminar contra a decisão de Ricardo Lewandowski de permitir que o presidiário Lula desse entrevista à Folha de S.Paulo.

A ação foi movida pelo Partido Novo.Eis o trecho mais importante da decisão:

“Defiro a liminar, ad referendum do Plenário, com fulcro no art. 4º da Lei n.º 8.437/92, para suspender ex tunc os efeitos da decisão proferida nos autos da Reclamação n.º 32.035, até que o colegiado aprecie a matéria de forma definitiva. Por conseguinte, determino que o requerido Luiz Inácio Lula da Silva se abstenha de realizar entrevista ou declaração a qualquer meio de comunicação, seja a imprensa ou outro veículo destinado à transmissão de informação para o público em geral. Determino, ainda, caso qualquer entrevista ou declaração já tenha sido realizada por parte do aludido requerido, a proibição da divulgação do seu conteúdo por qualquer forma, sob pena da configuração de crime de desobediência (art. 536, § 3º, do novo Código de Processo Civil e art. 330 do Código Penal). Intimem-se com urgência, por meio eletrônico ou outro que garanta máxima celeridade, a 12ª Vara Federal de Curitiba, o Superintendente da Polícia Federal no Paraná, a Empresa Folha da Manhã S.A., Mônica Bergamo e o Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Dê-se ciência à Procuradora-Geral da República. Publique-se. Intimem-se.”

*Via O Antagonista / Foto: Reprodução


Lewandowski libera para julgamento de recurso de Lula que tenta reverter decisão do STF

uinta, 27 de Setembro por Juliana Ribeiro

Lewandowski libera para julgamento de recurso de Lula que tenta reverter decisão do STF

Foto: Nelson Jr./STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski liberou nesta quinta-feira (27) para julgamento um recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado no âmbito da Operação Lava Jato.

No recurso, Lula tenta reverter a decisão do plenário do STF que, em abril deste ano, negou por 6 a 5 conceder habeas corpus ao petista, condenado a 12 anos e um mês de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no caso do tríplex do Guarujá.

De acordo com o jornal Estadão, ainda não há previsão de quando o plenário do Supremo analisará o recurso de Lula.


Quarta, 26 de Setembro de 2018 – 09:00 Ex-mulher de Bolsonaro ataca Folha, nega ameaça e faz campanha para o deputado

Quarta, 26 de Setembro por Rubens Valente | Folhapress

Foto: Rerpodução/ YouTube

Ana Cristina Valle, ex-mulher do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), atacou o jornal Folha de S. Paulo em vídeo divulgado nas redes sociais nesta terça-feira (25) e negou ter sido ameaçada de morte pelo seu ex-marido.

Hoje ela utiliza o nome Cristina Bolsonaro para fazer campanha a deputada federal pelo Podemos em Resende (RJ). Ela afirmou que Bolsonaro será eleito presidente da República “se depender” dela.

Pouco antes, a Folha de S. Paulo revelou que um telegrama do Itamaraty de julho de 2011 registrou que Ana Cristina afirmou então ter sido ameaçada de morte pelo ex-marido por volta de 2009 e que, por isso, ela teve que deixar o Brasil (leia aqui).

No vídeo, Ana Cristina não esclareceu se deu as declarações ao vice-consulado do Brasil na Noruega, conforme está escrito no telegrama de 2011. Ela afirmou no vídeo de pouco mais de um minuto:

“Venho aqui muito indignada desmentir a suja Folha de S.Paulo, [que] publica que o Jair me ameaçou de morte. Nunca. Pai do meu filho, meu ex-marido, ele é muito querido por mim e por todos. Ele não tem essa índole para poder fazer tal coisa. Bom pai, bom ex-marido, foi um bom marido também. Espero que vocês acreditem que essa mídia suja só quer denegrir a imagem dele, porque ele tá em primeiro lugar nas pesquisas e assim vai ficar. Porque eu acredito que ele ganhe em primeiro turno, espero que vocês acreditem também. Então fica aqui meu recado, mídia suja, não adianta, nada vai fazer com que ele caia. Ele tá em pé, depois de tudo o que aconteceu e vai continuar, e vai chegar à Presidência, se depender de mim”.


Polícia Federal abre segundo inquérito para investigar ataque contra Bolsonaro

Terça feira, 25 de Setembro por Juliana Ribeiro 

Foto: PMMG

A Polícia Federal abriu na manhã desta terça-feira (25) o segundo inquérito para investigar o ataque contra o candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais. A apuração busca descobrir se mais de uma pessoa participou do ato.

“Vamos apurar se Adélio tem alguma conexão com algum grupo ou organização criminosa”, afirmou o delegado Regional de Combate ao Crime Organizado de Minas Gerais, Rodrigo Morais, segundo o G1. “Elementos importantes foram encontrados no material apreendido, como agenda de contatos, troca de telefonemas e mensagens via aplicativos nos dias que antecederam o atentado, o que motiva a investigação de novos suspeitos”, explicou.

Morais relatou ainda que as informações colhidas até agora indicam que Adélio Bispo de Oliveira não teve ajuda de ninguém quando esfaqueou Bolsonaro durante o ato de campanha. O suspeito foi preso no dia do ataque e disse que cometeu o crime “a mando de Deus”.

Fonte e informações via  G1

Comissão diz que advogada algemada por PMs no Rio ‘se jogou no chão’ e inocenta juíza

Terça feira, 25 de Setembro por Juliana Ribeiro 
Imagem de Valéria Lucia algemada | causou indignação Foto: Bruno Marins/ OAB-RJ

A comissão responsável pela análise do caso da advogada Valéria Lucia dos Santos, algemada por PMs durante audiência em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, inocentou a juíza leiga Ethel Tavares de Vasconcelos de qualquer abuso cometido no ato de chamar os policiais contra a advogada (leia Vídeo: Advogada é algemada e presa durante audiência em juizado de Duque de Caxias, no RJ). De acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, as investigações concluíram que Valéria, na verdade “se jogou no chão” e começou a se debater, sendo apenas “momentaneamente” algemada, para a sua própria segurança.

Na conclusão da comissão, o desembargador Joaquim Domingos de Almeida Neto, do Tribunal de Justiça do Rio, afirma: “Não vislumbro prática de qualquer desvio funcional dos servidores envolvidos e da advogada juíza leiga Ethel Tavares de Vasconcelos”.

Ainda segundo a publicação, não há provas de que a versão da advogada de que “levou uma rasteira, uma banda, suas mãos colocadas para trás e algemada” esteja correta. Para o desembargador, a imagem de Valéria algemada e no chão é “forte”, mas não deve receber maior significado do que o que realmente pode ser ali visto.