Defesa de Lula pede a Moro que adie alegações finais da Lava Jato para depois das eleições

Domingo, 30 de Setembro por Juliana Ribeiro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao juiz federal Sérgio Moro para que suspenda o prazo das alegações finais do Ministério Público Federal em ação penal envolvendo o Instituto Lula e um apartamento em São Bernardo do Campo para depois das eleições. De acordo com o portal do Estadão, a defesa alega que, em outra ação, a que envolve o sítio em Atibaia, o juiz adiou o interrogatório final do ex-presidente Lula para depois do período com o fim de “evitar a exploração eleitoral”.

Ainda conforme o Estadão, os advogados avaliam ser necessária a “suspensão da marcha da presente ação penal até o término das eleições do corrente ano, para que se arredem explorações indevidas na esfera partidária e o feito não se convole em instrumento de ação política sob o pálido da sobranceira instituição do Poder Judiciário”.

Nesta ação penal, o petista é réu acusado de supostas propinas de R$ 12,5 milhões envolvendo a compra de terreno em São Paulo, onde, segundo a acusação, seria sediado o Instituto Lula (R$ 12 milhões), e a aquisição de apartamento vizinho à residência do petista em São Bernardo do Campo, no edifício Hill House. A força-tarefa da Lava Jato sustenta que os imóveis foram comprados pela Odebrecht por meio de supostos laranjas, como o engenheiro Glaucos da Costamarques, primo do amigo de Lula, José Carlos Bumlai, e a construtora DAG. Lula, no entanto, nega.


Comentários fechados.

Notícias Relacionadas