Zé Ronaldo rebate Rui: ‘Não elegi Temer. Quem elegeu Temer foi ele’

Sexta feira, 17 de Agosto

Zé Ronaldo devolveu o ‘presente’, dizendo que Rui é que é aliado de Temer, porque ele foi eleito vice-presidente de Dilma Rousseff em 2014.

Foto: Ângelo Pontes/Democratas
Foto: Ângelo Pontes/Democratas

Na saída do debate promovido pela TV Band Bahia entre os candidatos ao governo do estado, na madrugada desta sexta-feira (17), o democrata José Ronaldo rejeitou o rótulo de aliado de Michel Temer que Rui Costa tentou lhe atribuir.

Zé Ronaldo devolveu o ‘presente’, dizendo que Rui é que é aliado de Temer, porque ele foi eleito vice-presidente de Dilma Rousseff em 2014.

“Ele quer colocar no colo da gente aquilo que ele elegeu. Eu não elegi Temer, não votei com Temer. Quem votou com Temer foi ele. Foi ele que elegeu Temer. Ele assuma suas responsabilidades. Eu não elegi Temer em momento algum”, bradou o candidato do DEM.

Ele disse ainda que Rui Costa não deve culpar o governo federal pelas “deficiências” de sua gestão.

“Ele não pode ficar culpando os outros. Assuma sua responsabilidade. Como governante eu não culpei ninguém. Portanto, ele venha para a Bahia, e não venha agora no debate ficar prometendo coisas que ele prometeu quatro anos atrás e não cumpriu. Agora ele quer prometer de novo. O povo vai saber a realidade. Não tem mais propaganda. Agora a gente vai falar toda a realidade ao povo da Bahia. Os piores índices de saúde, educação, violência estão na Bahia”.


Em 1°Debate – Rui Costa (PT) é criticado nas áreas da Saúde e Educação

Sexta, 17 de Agosto  por Guilherme Ferreira

Ataques ao governo e defesa de Rui com ações dos últimos 4 anos predominaram em debate

Foto: Ulisses Dumas / Divulgação

O primeiro debate entre os candidatos ao governo do estado foi repleto de críticas à gestão do governador Rui Costa (PT). Em especial Marcos Mendes (PSOL) e Zé Ronaldo (DEM), levantaram números e apontaram problemas na administração do petista, remetendo inclusive ao fato do partido dele estar no poder há quase 12 anos. Rui, por outro lado, preferiu responder enumerando os seus projetos que foram colocados em prática nos últimos quatro anos.

Ao chegar na TV Bandeirantes, Zé Ronaldo preferiu não apresentar qual seria sua estratégia na discussão. No entanto, logo em sua primeira participação, ele fez reclamações sobre a atual gestão nas áreas de segurança pública e educação. Em suas primeiras participações no debate, Rui preferiu não responder diretamente e apenas citou os projetos realizados pelo seu governo para defender sua candidatura. Apenas no fim o governador condenou os ataques, mas também apontou dados negativos da prefeitura de Feira de Santana para atingir seu rival do DEM.

Marcos Mendes (PSOL) foi quem mais criticou os oponentes durante o debate, dirigindo questionamentos tanto a Rui quanto a Zé Ronaldo e ao grupo político no entorno do democrata. O candidato do PSOL chegou inclusive a associar o atual governador ao carlismo. Já João Henrique (PRTB) dedicou boa parte de seu tempo tentando “limpar” sua imagem e se afastar do rótulo de que fez uma gestão ruim como prefeito de Salvador.

João Henrique e Célia Sacramento aproveitaram alguns momentos do debate para fazer uma dobradinha e debater sobre os problemas da gestão estadual. A candidata da Rede Sustentabilidade também fez críticas a Rui, questionando como os recentes mandatos liderados pelo PT não resolveram deficiências na segurança pública e na questão hídrica, por exemplo. O atual governador tentou associar Zé Ronaldo a Michel Temer, falando com frequência sobre “os aliados de Temer na Bahia”. No entanto, foi João Santana (MDB) quem precisou responder sobre o presidente da República. O candidato do MDB inclusive sugeriu que seu correligionário teria cometido um erro ao tratar a corrupção no Planalto, mas garantiu que agiria de forma diferente. “Sou ficha-limpíssima”, disse.

O debate na TV Bandeirantes também foi uma oportunidade dos candidatos ao governo pedirem voto para os candidatos à Presidência da República. João Henrique foi quem mais tentou se aproximar de um aliado, mencionando constantemente o nome de Jair Bolsonaro (PSL). Na Bahia, PRTB e PSL fizeram uma aliança na chapa majoritária para a eleição deste ano. Célia, Rui e Mendes também tentaram promover Marina Silva (Rede), Lula (PT) e Gu


João Leão defende insistência do PT em candidatura de Lula: ‘

Quinta, 16 de Agosto //por João Brandão / Lucas Arraz

João Leão defende aliança entre PT e PSDB nas eleições deste ano

Foto: João Brandão / Bahia Notícias

Candidato a vice-governador da Bahia, João Leão (PP), admitiu que seria “interessante” se o PT apoiasse o PSDB em um eventual segundo turno contra Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições presidenciais. A fala do progressista, durante a abertura do comitê eleitoral da coligação “Mais Trabalho por Toda a Bahia” nesta quinta-feira (16), entrou em consonância com a do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) que defendeu a mesma ideia nesta semana. 

“Eu acho que Fernando Henrique está colocando juízo na cabeça dos tucanos. Seria interessante o PT apoiar o PSDB, mas mais seria interessante ainda o PSDB vir apoiar o PT”, destacou Leão. 

Apesar de nacionalmente o PP estar na base de Geraldo Alckmin (PSDB), na Bahia, por conta das relações da legenda com o governador candidato à reeleição Rui Costa, o diretório estadual marcha com a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 


Jurista diz que esticar candidatura de Lula é tentar fraudar a democracia

Quinta feira 16 de Agosto, por Davi Soares

Adriano Soares vê descaramento em forçação de barra para bagunçar o país

Jurista especialista em Direito Eleitoral, Adriano Soares da Costa. Foto: Divulgação/Redes sociail

O jurista especialista em Direito Eleitoral Adriano Soares da Costa disse nesta quarta-feira (15) que há deslealdade processual na utilização da Justiça Eleitoral por partidos políticos, em defesa da candidatura presidencial do ex-presidente Lula, mesmo sabendo que o condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, em segunda instância, e deverá ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa e declarado inelegível pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). As declarações foram dadas em transmissão ao vivo em seu perfil do Facebook.

Mesmo considerando a Lei da Ficha Limpa “ruim e inconstitucional”, Adriano Soares entende que não haverá nenhuma violação de direitos na prevista rejeição ao registro de candidatura de Lula, porque o Supremo Tribunal Federal (STF) já superou este debate no Brasil, ainda que de forma absurda, em seu entendimento.

“É uma deslealdade processual a tentativa de fraudar o processo eleitoral, esticando uma candidatura que, desde já, se sabe, inclusive, que o candidato não é candidato e já tem uma vice de reserva [Manuela D’Ávila] e um sucessor de reserva [Fernando Haddad]. É algo que é explícito. E, de tão explícito, é intolerável. Fosse qual fosse o partido ou candidato, fosse o que fosse, não podemos brincar com a democracia”, condenou Adriano Soares.

O especialista ainda considerou que não haverá nenhum absurdo, se o TSE decidir logo esta matéria, inclusive depois dos questionamentos feitos pela procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, que ingressou com uma impugnação do registro da chapa de Lula, pedindo sua rejeição e a suspensão de sua campanha.

Adriano Soares ainda considerou importante lembrar que os “pais da criança” da Lei da Ficha Limpa  são o PT, a CUT e os partidos de esquerda que pressionaram pela aprovação da Lei Complementar 135/2010, como forma de a barrar os candidatos com ficha suja na Justiça. E vê argumentos estranhos ao Direito Eleitoral, nas tentativas de garantir a presença de Lula na disputa presidencial, após sua condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no caso do Triplex do Guarujá.

“Quando vejo certos discursos, dizendo que é a hora de manter a mesma lógica que tantos outros tiveram nas eleições municipais e estaduais… Nunca na história do Brasil se teve um candidato com o descaramento – que este é o caso – de forçar a barra nesse nível, para bagunçar a democracia brasileira nesta magnitude. Brincar com a vontade popular. Brincar e colocar em risco a economia do País no futuro; a estabilidade política, já num País de tanta instabilidade. Esse é o grande erro desta tentativa”, declarou o jurista alagoano, ao ponderar a respeito da atuação de advogados que cumprem seu papel em defesa das necessidades políticas de seus clientes.


Bahia Eleições 2018- Pesquisa para governador e senador da Bahia deve ser divulgada dia 21

15 de Agosto , PorAparecido Silva

Os Candidatos Rui Costa e José Ronaldo são os favoritos na disputa ao governo da Bahia

O cenário eleitoral na Bahia deverá conhecer uma nova pesquisa a partir do dia 21 deste mês de agosto. O último levantamento para aferição das intenções de voto na corrida pelo governo da Bahia foi divulgado em 29 de maio e apontava vitória de Rui Costa ainda no primeiro turno.

O estudo a ser divulgado na próxima semana será feito pela empresa Real Time Big Data Gestão de Dados, a pedido do próprio grupo, conforme consta no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A empresa, que foi fundada em março deste ano, fará 1200 entrevistas nesta quinta (16) e sexta-feira (17). O estudo foi registrado na Justiça Eleitoral nesta quarta-feira (15) sob o número BA-05351/2018.

De acordo com o questionário elaborado pela companhia, a pesquisa terá cenário espontâneo, em que o eleitor será perguntado sobre quem será o seu candidato para governador da Bahia.

O primeiro cenário estimulado, em que os nomes são apresentados pelo entrevistador, são colocados apenas os nomes de Rui Costa (PT), Marcos Mendes (Psol), Zé Ronaldo (DEM), João Henrique (PRTB) e Célia Sacramento (REDE). Neste caso, são excluídos João Santana (MDB) e Orlando Andrade (PCO).

Em outro recorte, o eleitorado será instigado a responder em quem votaria em caso de segundo turno. Nesta situação, os nomes apresentados para eventual segundo turno são Rui Costa e Zé Ronaldo.

Na análise das intenções de votos, a empresa perguntará também qual a preferência do eleitor para o Senado. Neste cenário, são apresentados como candidatos: Angelo Coronel (PSD), Celsinho Cotrim (PRTB), Fábio Nogueira (PSOL), Irmão Lázaro (PSC), Jaques Wagner (PT), Jorge Vianna (MDB), José Francisco (Rede), Jutahy Júnior (PSDB), Marcos Maurício (DC).

Embora o registro junto ao TSE tenha sido para pesquisa de intenção de voto, o questionário também aponta perguntas sobre avaliação do governo do estado da Bahia. Há também pergunta para o eleitor sobre a religião e a ocupação.

Ao final do questionário, há espaço reservado para preenchimento de dados do eleitor como telefone e nome do entrevistado.


Luís Roberto Barroso será relator de registro de candidatura de Lula no TSE

Quarta, 15 de Agosto

Luís Roberto Barroso será relator de registro de candidatura de Lula no TSE

Foto: Carlos Moura/ SCO/ STF

O ministro Luís Roberto Barroso será relator do pedido de registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O sorteio do nome de Barroso foi feito na noite desta quarta-feira (15). 

Lula está preso e foi condenado na Lava-Jato em segunda instância, o que pode fazer com que seja barrado pela Lei da Ficha Limpa. A candidatura do ex-presidente foi registrada no TSE nesta tarde, em Brasília. 

Barroso já havia declarado previamente apoio à Lei da Ficha Limpa, o que pode ser indicativo de um voto contra a homologação da participação de Lula na disputa eleitoral. “Eu, diversamente, acho que a lei é boa, acho que a lei é importante e acho que a lei é sóbria. Acho que é uma lei que atende algumas demandas importantes da sociedade brasileira por valores como decência política e moralidade administrativa”, disse.


‘jogo está jogado’ com Haddad caso Lula não seja candidato

Quarta, 15 de agosto

O ex-governador da Bahia e candidato ao Senado, Jaques Wagner (PT), afirmou nesta quarta-feira (15) que, caso a Justiça Eleitoral impeça o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de ser candidato, o “jogo está jogado” com a substituição do petista por Fernando Haddad (PT). Wagner participa, em Brasília, de um ato organizado por militantes da sigla para registro da candidatura de Lula no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.

“Se não conseguir o registro [de Lula], me parece que o jogo está jogado. Se a Justiça interditar, o natural é Haddad assumir”, disse Wagner, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo.

Nesta quarta, Haddad será registrado como vice de Lula. Mas a expectativa dos próprios petistas é de que o TSE declare Lula inelegível até o início de setembro e, a partir daí, o ex-prefeito de São Paulo assumiria a cabeça de chapa, com Manuela D’Ávila (PCdoB) como vice.

O ex-governador baiano chegou a ser cogitado como plano B do PT, caso o ex-presidente fosse impedido de concorrer. Nos bastidores, foi apontado como favorito de Lula para substitui-lo, mas acabou abrindo mão da missão e preferiu disputar o Senado pela Bahia.

“Não sei se Lula preferia a mim. Ele é muito prático. A gente conversou e ele entendeu”, disse Jaques. “Legalmente poderia [substituir Lula], intimamente, não poderia”, completou.

Além de Wagner, o governador da Bahia, Rui Costa, foi à Brasília para participar do ato. Uma comitiva com deputados federais e estaduais baianos, além de militantes petistas no estado, está na capital federal também.


Deputado federal Paulo Magalhães é o candidato à reeleição mais rico; veja ranking


Quarta, 15 de Agosto /por João Brandão

Deputado federal Paulo Magalhães é o candidato à reeleição mais rico; veja ranking

Foto: Laycer Thomaz / Agência Câmara

O deputado federal Paulo Magalhães (PSD) é o candidato à reeleição que declarou o patrimônio mais robusto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Conforme levantamento feito pelo Bahia Notícias, baseado no sistema Divulga Cand, o parlamentar declarou R$ 16.683.655,72. Seguida aparece Lucio Vieira Lima (MDB), com bens de R$ 11.235.928,92. Cláudio Cajado aparece logo atrás, com R$ 11.124.956,55.

Chama atenção é que os quatro com menor patrimônio, dois são do PRB.  A presidente da legenda na Bahia, Tia Eron, aparece com R$ 38,3 mil, e Marcio Marinho, com R$ 309.028,06, ambos da Igreja Universal do Reino de Deus. Confira abaixo a lista completa:
1 – Paulo Magalhães (PSD): R$ 16.683.655,72;
2 – Lucio Vieira Lima (MDB): R$11.235.928,92;
3 – Claudio Cajado (PP): R$11.124.956,55;
4 – José Rocha (PR): R$7.286.824,48;
5 – Aleluia (DEM): R$ 6.257.041,86;
6 – José Nunes (PSD): R$4.285.968,31;
7 – Jonga Bacelar (PR): R$3.719.709,13;
8 – Elmar Nascimento (DEM): R$3.092.652,53;
9 – Carletto (PP): R$2.931.612,84;
10 – Felix Mendonça (PDT): R$2.414.766,83;
11 – Mario Negromonte JR (PP): R$2.281.417,64;
12 – Antonio Brito (PSD): R$2.178.108,34;
13 – Arthur Maia (DEM): R$ 1.789.813,86;
14 – Paulo Azi (DEM): R$1.671.368,80;
15 – Imbassahy (PSDB): R$1.670.429,09;
16 – Alice Portugal (PCdoB): R$1.217.987,08;
17 – Benito Gama (PTB): R$1.063.155,77;
18 – Waldenor Pereira (PT): R$1.011.070,73
19 – Sergio Brito (PSD): R$1.000.901,58;
20 – Daniel Almeida (PCdoB): R$939.020,00;
21 – José Carlos Araújo (PR): R$858.741,83;
22 – Cacá Leão (PP): R$819.034,57;
23 – Jorge Solla (PT): R$646.715,27;
24 – Pelegrino (PT): R$600.000,00;
25 – Caetano (PT): R$ 476.500,00;
26 – Bacelar (Podemos): R$413.246,77;
27 – Josias Gomes (PT): R$400.412,38;
28 – Afonso Florence (PT): 385.743,71;
29 – Marcio Marinho (PRB): R$309.028,06;
30 – Uldurico Junior (PPL): R$145.577,65;
31 – Erivelton Santana (Patriota): R$56.700,00;
32 – Tia Eron (PRB): R$38.347,10.


Eleições 2018: Bolsonaro amplia vantagem; outros 3 candidatos disputam 2º turno

Quarta, 15 de Agosto

Paraná Pesquisas: Bolsonaro amplia vantagem; outros 3 candidatos disputam 2º turno

Foto: Câmara dos Deputados

O novo levantamento do Paraná Pesquisas, divulgado nesta quarta-feira (15), mostra o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) na liderança da corrida presidencial, com 23,9% das intenções de voto em um cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa. A outra vaga no segundo turno é disputada por Marina Silva (Rede) (13,2%), Ciro Gomes (PDT) (10,2%) e Geraldo Alckmin (PSDB) (8,5%) – empatados na margem de erro.

Em um cenário com Lula na disputa, o petista lidera com 30,8% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro, com 22%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 9 e 13 de agosto de 2018, com 2.002 eleitores de todo o Brasil. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob o n.º BR-02891/2018 para o cargo de presidente


Lula deve ser um dos três candidatos mais ricos, diz coluna

Quarta, 15 de Agosto

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve registrar nesta quarta-feira (15) sua candidatura ao Planalto no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, se ele repetir o que informou à Justiça no processo de inventário da ex-primeira-dama Marisa Letícia, deverá ficar entre os três presidenciáveis mais ricos, de acordo com a Coluna do Estadão.

Em junho, o petista disse ao Judiciário que os bens do casal somam R$ 12,3 milhões. Em 2006, sua última eleição, ele declarou patrimônio de R$ 839 mil. Atualizado pelo IPCA, R$ 1,7 milhão. A cifra que consta no inventário é superior ao de Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Alvaro Dias (Podemos), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) somados.

Dos candidatos ao Planalto, o político Lula só deve perder em patrimônio para o empresário João Amoedo, que informou R$ 425 milhões, e o ex-presidente do BankBoston Henrique Meirelles. Pelo processo de partilha, ainda em curso, Lula vai dividir metade do patrimônio de R$ 12,3 milhões com os filhos. Mesmo se ele declarar ao TSE apenas sua parte, R$ 6 milhões, continuará entre os três presidenciáveis mais ricos.

Em junho, Lula informou à Justiça, no processo de partilha, ter dois planos de previdência, que somam R$ 9 milhões. Além da L.I.L.S. Palestras, que também não existia em 2006, entre outros bens.